Coaching…para quê? - Saber Viver

É normal no âmbito do Coaching a utilização de palavras como sucesso, sonhos e felicidade. Estas palavras são utlizadas num contexto e em práticas específicas, devidamente fundamentadas e não fazem parte da “ditadura” da falsa “felicidade” presente na nossa sociedade. Não se é “feliz” por decreto e a complexidade e subjetividade de tal conceito só pode ser “aprofundado” e “trabalhado” coachee a coachee (cliente a cliente), não havendo fórmulas mágicas e automáticas para a “implementação” da felicidade. Aliás, se o foco for a chegada da dita “felicidade” esta afasta-se continuamente e acabamos por não saborear e viver o agora, que é o único momento que temos.

Um outro conceito por vezes “mal-entendido” é o conceito de desistir. A ideia errónea que desistir parece mal ou é para os fracos, infelizmente ainda faz parte dos pensamentos ditos limitantes. A Vida avança através de decisões. Em cada decisão coexiste o assumir de um caminho novo e o de desistir de um outro. Esse é o preço da mudança. O Coaching potencia a busca de caminhos alternativos para o seu bem-estar integral, mas, em primeiro lugar tem de parar de percorrer os caminhos que “alimentam” a situação indesejada. Por vezes, antes queremos um sofrimento conhecido que uma “alegria” desconhecida! Tal é a baixa intensidade com que acreditamos em nós e nos nossos sonhos. Desistir de um caminho que nos mantém num nível de sofrimento “aceitável” tem um elevado preço emocional. Mas é preciso desistir! Desistir de tudo que nos aprisiona ao sofrimento, às opções não adequadas do passado! Tudo na vida tem um balanço custo/benefício. Há que aumentar o benefício e avançar. Mas este avançar deve ocorrer num ambiente de tranquilidade, não de raiva ou ódio relativamente à situação atual. Aceite todo o seu percurso de Vida. Aprenda com ele. Aceite-se! Conheça-se profundamente, descubra os seus “talentos” e utilize-os! Pacifique-se com o passado. Sonhe o seu futuro! E faça-o acontecer no presente, hoje!

Através da Prática do Coaching adquira o discernimento para desistir do que é para desistir e insistir o que é para persistir! Afinal aquilo que pretende, só você pode conseguir!

Não perca o próximo artigo de “Coaching…para quê?”. Leia mais artigos na página de opinião do IMEDIATO.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *