Em quatro anos, quase duplicou o número de vítimas acompanhadas na região