Coaching…para quê? - Saber Viver

Mais uma Páscoa passou e mesmo que a sua crença seja a de “não ter crença nenhuma” certamente partilhará de valores como o amor e o perdão. Aliás, estes valores relacionam-se com a ética, compaixão, empatia, assertividade, etc. Trabalhar a Inteligência Espiritual implica fortalecer todas estas competências para que possa usufruir de uma paz interna que se refletirá na paz externa que cria à sua volta. Igualmente desta forma, eleva a fasquia da sua resiliência face aos desafios da vida e vendo em cada adversidade uma oportunidade de evolução.

Como seres humanos a prática destes valores torna-se um desafio permanente. A proposta neste ambiente Pascal é mudar a “composição mental” e potenciar a capacidade de pazear. Nesse sentido gostaria que refletisse em algumas questões:

As suas atitudes e atos refletem os seus valores?

Qual o seu nível de congruência (O que pensa, diz e faz estão em sintonia)?

A sua presença frequentemente cria um ambiente relacional mais pacífico ou tenso?

Com que facilidade “reage” às provocações dos outros?

Criar com que facilidade harmonia ou desarmonia?

O que impede as suas ações de serem mais pacíficas?

A quem deve um pedido de perdão? Qual a razão de não o fazer?

A quem é que ainda não perdoou?

Como avalia a sua “paz Interna”?

Que desafio vai assumir para evoluir?

(…)

Através da Prática do Coaching, poderá desenvolver competências fundamentais para se tornar mais Feliz consigo próprio assim como socialmente mais interessante nas suas relações pessoais e profissionais.

Não perca o próximo artigo de “Coaching…para quê?”. Leia mais artigos na página de opinião do IMEDIATO.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *