Norte quer pelo menos metade dos fundos Portugal 2030
Fotografia: CCDR-N

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) tem uma “forte expectativa de alcançar até final de 2021 a meta de mais de dois mil milhões de euros de fundos comunitários executados”. O objetivo foi anunciado esta terça-feira pelo presidente da entidade, António Cunha, aos representantes da Comissão Europeia e ao comité de acompanhamento do programa NORTE 2020.

O valor corresponde a cerca de 61% do orçamento global disponível até 2023 e, para lá chegar, é necessário aplicar mais de 500 milhões de euros de fundos na Região Norte durante este ano, objetivo que, para o representante, envolve “um compromisso de toda a região e de todos os seus atores e uma forte dinâmica de aceleração”.

Citado em nota de imprensa da CCDR-N, António Cunha afirma que em abril foi batido “o recorde mensal absoluto de pedidos de reembolso” entregues por promotores de investimento na autoridade de gestão: 1264 pedidos, que representam 66 milhões de euros de investimentos.

Para o presidente da entidade, atingir a meta de 2.000.000.000,00 de euros em fundos comunitários é “fundamental” para a implementação do programa, mas também para dar resposta “ao contexto de crise socioeconómica” enfrentado atualmente pela região.

112 milhões de euros em fundos para contrariar crise na região Norte

No contexto atual, foi explicado que o NORTE 2020 dedica 112 milhões de euros do seu orçamento para medidas específicas de resposta à crise suscitada pela pandemia. “É um contributo relevante, expressa em várias tipologias de investimento, com especial ênfase nas áreas do emprego e do apoio à liquidez das empresas, com aplicação em todo o território regional”, afirma António Cunha.

A reunião do comité de acompanhamento do NORTE 2020 aprovou o relatório de execução anual do programa, que no final de 2020 contava com 10.616 projetos aprovados (mais 26% face ao ano anterior) e uma intenção de investimento de 4,4 mil milhões de Euros e um compromisso de aplicação de fundos estruturais superior a 3 mil milhões de Euros.

“Parte significativa destes investimentos estão relacionados com projetos de qualificação, inovação e internacionalização de empresas, operações de desenvolvimento urbano sustentável dinamizadas pelos municípios, construção e reabilitação de equipamentos sociais e de infraestruturas de saúde, programas de combate ao insucesso escolar e de doutoramento”, explica a nota da CCDR-N.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *