Humberto Brito, presidente da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, PS
Fotografia: Direitos Reservados

O presidente da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, Humberto Brito, apelou ao novo Governo para a “urgência” da construção da Linha Ferroviária do Vale do Sousa, cujos estudos se encontram em “fase adiantada”. Para o autarca, este investimento é uma solução para as empresas da região, que estão a ser “gravemente afetadas” pelo aumento dos preços dos combustíveis fósseis e eletricidade.

“Face ao brutal aumento do preço dos combustíveis, que ainda hoje [segunda-feira] se verificou, e ao consequente aumento do preço dos transportes rodoviários de combustão e da rodovia, a que se junta a imprevisibilidade dos mercados mundiais, com sucessivos aumentos nos custos de matérias-primas e de produção, a construção da nova linha ferroviária do Vale do Sousa, que servirá cerca de 300 mil habitantes, é hoje, além de um imperativo nacional de coesão social e territorial, uma necessidade urgente”, indica o presidente, em comunicado da Câmara Municipal.

Humberto Brito considera ainda que, além de não existir “quaisquer alternativas ao transporte rodoviário”, as empresas do Vale do Sousa estão a ser “gravemente afetadas” pelas oscilações dos custos com combustíveis fósseis e eletricidade. “À medida que os dias passam agravam-se ainda mais as dificuldades”, considera o autarca pacense.

Tendo em conta que o projeto da Linha do Vale do Sousa está inserido no Plano Nacional de Investimentos (PNI – 2020/2030) apresentado a 22 de outubro de 2020, o presidente da Câmara Municipal de Paços de Ferreira defende que “importa acelerar a captação dos fundos disponíveis no Quadro Comunitário destinados à ferrovia e avançar-se com maior celeridade a sua construção”.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.