Velocidade
Fotografia: Direitos Reservados

Após estudar a velocidade dos condutores na sua rede de autoestradas e apurar que 36% circulam acima da velocidade legalmente permitida, a Ascendi lançou uma campanha de prevenção rodoviária para alertar os utilizadores e mostrar que os excessos de velocidade são “um comportamento mais frequente do que a perceção geral”.

Para passar a mensagem aos condutores, a campanha estará difundida em algumas áreas de serviço e nas redes sociais da Ascendi, “garantindo que os condutores são impactados no momento em que circulam nas autoestradas, mas também nas suas redes sociais”.

A informação apresentada na campanha foi apurada através de um diagnóstico “pioneiro” aos principais indicadores das velocidades praticadas na rede Ascendi realizado através de uma parceria com a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), explica comunicado enviado ao IMEDIATO pela concessionária.

A41 Concessao Grande Porto
Imagem: Ascendi

Os dados estudados são relativos ao ano de 2020 e indicam que 36% dos condutores que circulam nas concessões Beiras Litoral e Alta (BLA), Costa da Prata (CP), Grande Lisboa (GL), Grande Porto (GP) e Subconcessão Pinhal Interior (PI) circulam acima da velocidade legalmente permitida, sendo a velocidade média dos veículos de 103,9 km/h.

No caso da A41, cerca de 12% dos condutores circulam em velocidades superiores ao limite imposto por lei, revela a nota de imprensa.

Este diagnóstico está integrado no Plano de Ação de Segurança Rodoviária 2020-2023 da Ascendi, que tem como objetivo a redução do número anual de vítimas de acidentes.

“Comprometida com a melhoria contínua da segurança rodoviária, a Ascendi desenvolve um trabalho diário para diminuir a frequência e gravidade dos acidentes, lançando campanhas de comunicação com o objetivo de atuar diretamente no comportamento dos condutores que utilizam as suas vias”, remata a concessionária.

excesso de velocidade
Gráfico: Ascendi

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *