Humberto Brito
DR

No rescaldo das eleições autárquicas, que aconteceram no passado domingo, já se conhecem os traços gerais do panorama político para os próximos quatro anos no concelho de Paços de Ferreira.

O Partido Socialista, liderado por Humberto Brito- continua à frente dos destinos do município pelos próximos quatro anos. Contudo, perderam um vereador, tendo conquistado quatro mandatos no executivo municipal – menos um comparando com o resultado obtido em 2017. O executivo municipal fica completo com mais três vereadores eleitos pelo PSD. 

A mesma situação ocorreu na Assembleia Municipal. A lista encabeçada por Miguel Costa alcançou 12 lugares neste órgão, menos um que no ano transato, mas continua a ter vantagem numérica face aos nove candidatos do PSD.

Humberto Brito defende “grande vitória” e faz previsões para as próximas autárquicas

Como é habitual, durante a noite eleitoral o vencedor da corrida à Câmara Municipal “invadiu” o Salão Nobre seguido por uma legião de apoiantes, proferindo o discurso de vitória. Pela terceira vez consecutiva, Humberto Brito seguiu esta tradição, defendendo uma “grande maioria nestas eleições” e prometendo que a “mudança não vai parar”.

Munidos de bandeiras e cachecóis com as cores socialistas, dezenas de apoiantes aplaudiram os candidatos do partido, que mantêm a liderança do executivo, da Assembleia Municipal e de sete das 12 freguesias do concelho de Paços de Ferreira.

“Esta foi uma eleição que nós conseguimos vencer em circunstâncias absolutamente difíceis, quando tínhamos contra nós uma oposição que fez da calúnia e da maledicência a sua principal arma. Mas nós ganhamos esta eleição”, afirmou Humberto Brito, durante a sua intervenção.

Com os olhos já no próximo mandato, o socialista antevê quatro anos de “grande trabalho”, com “grandes projetos pela frente”, estando certo de uma nova vitória socialista em 2025, altura em que já não se poderá recandidatar à presidência da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, por limitação de mandatos.

“Temos a certeza de que, daqui a quatro anos, estaremos aqui novamente a dizer à população que vale a pena confiar no Partido Socialista. Estou certo e posso concluir que ‘a mudança não pode parar’”, rematou o autarca, fazendo alusão ao slogan de campanha.

Concelhia socialista congratula-se

Nas redes sociais, a concelhia do Partido Socialista de Paços de Ferreira congratulou-se com “forma democrática e positiva como decorreram as eleições autárquicas”, defendendo que foi “uma clara afirmação de cidadania e de democracia” no concelho.

O núcleo pacense do partido sublinhou ainda “a importância do PS continuar a ser o partido mais votado para a Câmara Municipal, para as Assembleias de Freguesia e para a Assembleia Municipal”.

Recorde-se que a Federação Distrital do Partido Socialista do Porto avocou o processo eleitoral autárquico quando Humberto Brito afirmou que não seria candidato “com este PS”, na sequência do anúncio de que a comissão política concelhia apoiaria a recondução de todos os eleitos em 2017.

PSD teve “resultado positivo” e mostrou “um cartão laranja ao executivo e ao PS”

Com maior presença no executivo e um novo lugar na Assembleia Municipal, o presidente da concelhia do PSD e candidato à Câmara Municipal de Paços de Ferreira, Alexandre Costa, descreveu como “positivos” os resultados obtidos pelo partido no concelho.

“O PSD sente-se vitorioso com este resultado, sabemos que não alcançamos todos os nossos objetivos, mas demos um passo no sentido de conquistarmos novamente o poder em Paços de Ferreira. (…) Penso que hoje foi mostrado um cartão laranja a este executivo municipal e ao PS”, afirmou ao IMEDIATO o líder da candidatura à autarquia.

Após conhecer os resultados nas freguesias, o líder social-democrata agradeceu a todos os candidatos, com um especial agradecimento aos reconduzidos nas freguesias de Frazão/Arreigada, Seroa e Meixomil, bem como aos estreantes que asseguraram a presença laranja em Paços de Ferreira e Penamaior, manifestando “a certeza de que vão desenvolver um trabalho profícuo como até agora”.

“Iremos estar no terreno todos os dias (…) a procurar desenvolver o nosso concelho com uma oposição atenta, crítica, mas acima de tudo construtiva para aquilo que consideramos ser uma nova atitude no nosso concelho”, rematou.

CDU obtém “resultado histórico”

Em comunicado de imprensa enviado ao IMEDIATO, a Coligação Democrática Unitária (CDU) considerou os resultados obtidos como “históricos”. A candidatura à Câmara Municipal, encabeçada por João Paulo Carvalho, mais do que duplicou a percentagem obtida em 2017, passando de 1,33% para 3,24%.

“Sempre foi nosso desejo que acontecesse uma mudança na forma de reger os destinos do nosso concelho, e que essa alteração de gestão finalmente beneficiasse os seus habitantes. Devemos sempre recordar que os munícipes não são meros números ou votos”, lê-se na nota.

Os candidatos da CDU deixaram ainda a promessa de que vão continuar o “trabalho, esforço e compromisso” em questões como o “problema da água”, da ETAR, da “falta de mobilidade” e das questões sociais.

Nas redes sociais, a estrutura nacional do Chega agradeceu “a todos os que acordaram” no país. Em Paços de Ferreira, o partido 2,22% do total de votos apurado no concelho de Paços de Ferreira, um valor superior aos 1,56% conseguidos pela lista de Ludgero Pereira.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *