Humberto Brito

Humberto Brito apresentou publicamente, este sábado, a sua recandidatura à presidência da Câmara Municipal de Paços de Ferreira nas próximas autárquicas. No Parque Urbano de Paços de Ferreira, criticou a “política do bota-abaixo”, considerando que, no concelho, os últimos anos foram de mudança e que esta “não pode parar”.

Frente a dezenas de apoiantes, entre os quais o Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e o presidente da Federação Distrital do Partido Socialista, Manuel Pizarro, o atual presidente da Câmara Municipal de Paços de Ferreira relembrou os marcos dos oito últimos anos e delineou prioridades para o futuro.

“Não tememos e não receámos ser avaliados e julgados pelo trabalho dos últimos oito anos (…) Oito anos em que a mudança permitiu reduzir a dívida em 35 milhões de euros; pagar faturas, subsídios e contas da Câmara a 12 dias; fazer obras permanentes e em todas as freguesias, aumentar e melhorar os parques urbanos e espaços verdes do concelho e realizar a maior regeneração urbana que este concelho conheceu”.

Humberto Brito defendeu ainda que, nos últimos dois mandatos socialistas ao leme da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, foi possível “garantir os maiores apoios sociais de todos tempos”, nomeadamente através da disponibilização gratuita de manuais escolares, refeições e transporte escolar ou “da redução do preço da água”, ou ainda da “menor carga fiscal de sempre, com o IMI no mínimo”.

Contudo, o recandidato pelo Partido Socialista apresentou propostas “objetivas e concretas” para os próximos quatro anos, caso vença as eleições autárquicas agendadas para 26 de setembro: “500 euros para cada recém-nascido; 120 apartamentos para arrendamento acessível a começar em 2022 e terminar em 2025; avanço com a rede 5G; construção da nova Escola Profissional e o Centro Tecnológico do Mobiliário; requalificação dos espaços públicos nas freguesias do concelho; aumentar as zonas verdes em todas as freguesias; requalificar as margens dos rios e as zonas ribeirinhas; continuar a reduzir a dívida municipal e continuar a pagar a pronto, continuar o trabalho para garantir que teremos a ferrovia no concelho até 2030, apostar e renovar o nosso compromisso de aderir a área metropolitana do Porto”, afirmou Humberto Brito, na sua intervenção.

O atual presidente de Câmara Municipal considerou que as próximas eleições vão ser “simples ao representarem uma batalha entre dois diferentes estilos de governação autárquica: “o progresso e a boa gestão municipal” ou o “regressar a um tempo passado”.

apresentacao hb

Apresentadas apostas para Assembleia Municipal e Juntas de Freguesia

Durante a sessão de apresentação, foi dada a conhecer à população a candidatura de Miguel Costa à Assembleia Municipal de Paços de Ferreira, bem como das apostas socialistas para as 12 Juntas de Freguesia do concelho de Paços de Ferreira. Novas caras juntaram-se à equipa socialista, substituindo algumas saídas já conhecidas, sendo que o partido apoiou ainda três candidaturas independentes.

Ernesto Lopes, Sónia Barbosa, Jocelino Moreira e Joaquim Santos (independente com apoio do PS) são recandidatos às Juntas de Freguesia de Eiriz, Figueiró, Raimonda e Sanfins, Lamoso, Codessos, respetivamente.

Por outro lado, três autarcas socialistas não se voltam a entrar na corrida eleitoral nas próximas autárquicas: José Luís Monteiro em Freamunde, Joaquim Martins em Carvalhosa e Filipe Pinto em Ferreira (por limitação de mandatos). Conheça os candidatos apresentados:

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *