"Green” blá, blá, blá. “Clean”, blá, blá. “Healthy”, Blá blá, blá blá…

E que tal, de vez em quando, lavar os passeios para peões? Quando subo (ou desço) a Rua do Bom Retiro (Penafiel), parecerá, a quem me observe de uma janela, que vou bêbado tal a irregularidade com que me desloco. Mas não vou bêbado, vou só a evitar (e mesmo assim sou algumas vezes “caço”) pôr o pé em cima de um dos inúmeros “poios” de cão que por lá são mais que muitos. E a Rua do Bom Retiro é só um exemplo.

Não devo errar muito se disser que quem observe, de dron, a cidade, pensará que é uma cidade de bêbados. Uns a caminhar como bêbados e outros parados, segurando o cão pela trela, esperando que o animal deixe o “presente” para um qualquer incauto que passe, de olhos no ar, observando a bela, mesmos que, tantas vezes, maltratada, arquitetura da cidade.

Mas esta estória dos “presentes” de cão é bem mais antiga que esta presidência que governa atualmente a cidade… Mas ai está… estava mal… e não melhorou nada!

“Poio” aqui, “poio” ali, lá vou contornando, com algumas falhas, os obstáculos…

Dos problemas de “limpeza” na atual gestão temos a lamentar é mesmo o das árvores. Esta gestão deverá ter causado o maior desbaste de árvores antigas, cheias de história, que a tão antiga cidade alguma vez terá registado. E é este presidente que adere ao “Green City Accord”… e tem razão… dificilmente falhará o compromisso “Green”. A “City” já perdeu o seu mais belo “Green”… não só um “Green” ecológico mas também o fresco “Green” das memorias, um “Green” de belo, um “Green” de saudável…

Perdas, grandes perdas de cidades pequenas, que só são perdas porque são cidades pequenas… em Vila Nova de Gaia não se sabe se o metropolitano avança ou não avança porque a população se opõem a que se abatam umas largas dezenas de sobreiros. Estas populações de grandes cidades (cheios de “manias” diremos nós nas pequenas cidades)… e não está a adiantar ser um projeto de um arquiteto galardoado com um “Pritzker”.

A cidade de Penafiel aderiu ao “Green City Accord” porquê? Cidade mais verde? Cidade mais limpa? Cidade mais saudável?

Porque insistimos que o provérbio “olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço” é paradigma? Será porque, façamos o que fizermos a eleição (ou reeleição) está assegurada? Sim! Claro que temos a eleição (e/ou reeleição) assegurada. E essa certeza na eleição (e/ou reeleição) valida o “olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço”!

Leia mais artigos na página de opinião do IMEDIATO.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *