Mesmo em pandemia, setor agroalimentar fecha 2020 com aumento nas exportações
Setor agroalimentar fecha 2020 com um aumento nas exportações. Fotografia: Ministério da Agricultura

Mesmo num ano marcado pela pandemia de covid-19, as exportações do setor agroalimentar tiveram um comportamento positivo, aumentando 2,5%, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Em comunicado, o Ministério da Agricultura informou que os maiores aumentos aconteceram nas exportações de “Animais Vivos”, que cresceram 20,9%, bem como as “carnes, miudezas, comestíveis”, com uma subida de 15,7%.

Já as “plantas vivas e produtos de floricultura” cresceram 8,8%, as “frutas: cascas de citrinos e melões” cresceram 6,3%, a agricultura 5,5% e os “vinhos e mostos” 3,2%.

Citada na nota de imprensa enviada, a Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, considera que estes dados “evidenciam a resiliência e a capacidade de trabalho dos agricultores portugueses e de todo setor agroalimentar”, bem como “a eficácia das medidas de crise adotadas para apoiar o setor”.

Vinhos portugueses rendem 846 milhões de euros em exportações

Segundo os dados do INE, os vinhos portugueses aumentaram não só o seu volume de exportações, em 5,3%, mas também o valor gerado, em 3,2%, com um resultado de 846 milhões de euros, mais 26 milhões de euros do que em 2019.

Para este resultado, a contribuição mais significativa foi registada nos mercados do Brasil, França, EUA, Reino Unido e Canadá, que são, assim, os cinco mercados mais importantes.

Para o Brasil, de janeiro a dezembro 2020, registou-se um aumento de cerca de 26,5%, em volume, e de 23,5 %, em valor, representando cerca de 68 milhões de euros.

Por sua vez, as exportações para os EUA cresceram 13,5%, em volume, e 3,1%, em valor, num total de 92 milhões de euros. Já para o Reino Unido, houve um acréscimo de 26,9%, em volume, e 16,2%, em valor, num um total de cerca de 90 milhões de euros.

No caso do Canadá houve um acréscimo de 6%, em volume, e 4,9%, em valor, com um total de cerca de 50 milhões de euros.

Já no mercado comunitário, destaca-se o mercado francês (com 110,5 milhões de euros) que continua a liderar o mercado de exportação do vinho nacional. Segue-se a Alemanha (47,5 milhões de euros) e, em terceiro lugar, os Países Baixos (com 47 milhões de euros).

O mercado francês continua a liderar o mercado de exportação do vinho nacional, revelando, no entanto, uma diminuição em volume de cerca de -2%, em ciclo com o mercado comunitário, que apresenta um decréscimo de -11,1%.

Luís tem 22 anos e quer fazer da agricultura a sua vida

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *