Tempo / Coaching / Preguiça / Coaching…para quê? - Poupa / Saber Viver

Procura-se que através do “Processo de Coaching, o “Coachee,” ou seja o cliente, se direcione, caminhe e concretize o tal “Sonho” ou objetivo desejado.  Claro que muitas vezes o “sonho” com que o cliente aparece ou é uma ilusão ou é tão abrangente que há necessidade de o “redefinir” passando-o por uma “malha fina” de forma a  torná-lo realista, exequível e portanto alcançável, num determinado período. Assim, definido o que inicialmente era difuso, fica possível aplicar índices de sucesso ao longo do caminho, “ajustando-o” se necessário.

O fator limitante deste processo prende-se com aquilo que o coachee pensa que “É” ou o que “não É”. Experiências, pensamentos/crenças limitantes e emoções (exageradas) do passado, vêm “atormentar” o presente! E num mundo pessimista por defeito, frequentemente o cliente diz “mas não eu consigo”! Claro que na luta da “emoção” versus “razão” a emoção ganha e arranja forma de “tramar “a razão!

Qual a forma de sair deste impasse? Após a conciliação do Coachee consigo próprio e com o seu passado (se necessário será orientado para um outro profissional), duas propostas se seguem:

A primeira, prende-se com o entusiasmo, a motivação com que realmente se pretende alcançar o que deseja! Numa linguagem simplista imagine a seguinte situação: quando está no wc deixa cair das suas calças uma moeda de 10 cêntimos em cima das suas “necessidades”. É evidente que vai pensar duas vezes…. mas muito provavelmente faz a descarga do autoclismo! Agora, imagine a mesma situação só que, em vez 10 cêntimos deixa cair uma nota de 500 euros! (eu sei que é altamente improvável!) E agora? Faz a descarga do autoclismo? Provavelmente não! Que mudou? O trabalho? Não. A motivação dos seus “sonhos,” do seu objetivo! Então, por outras palavras “sonhe em grande!”

A segunda proposta está relacionada com o “novo caminho” para conseguir o que deseja. Nunca o fez! Mas este será delineado, curiosamente por si, na presença do Coach! Igualmente numa linguagem simplista, imagine-se a deixar de andar de triciclo para passar a andar de bicicleta! Como pode afirmar “não vou conseguir” se nem sequer começar a andar?

É aqui que frequentemente o Ser humano se equivoca! Quer os resultados, sem fazer o caminho! Quer o sucesso que vê nos outros sem fazer o que os outros fizeram! Essa é outra ilusão! Obviamente que tem de ir à “luta”. Quem deseja “andar de bicicleta” sabe que vai passar por situações distintas das que tinha quando andava de triciclo.

Mas, já fechou os olhos, imaginou e sentiu como será bom “andar de bicicleta”? Não se esqueça desse momento quando decidir ir para “cima da bicicleta”. Esta motivação e emoção associadas à coragem vão superar o seu medo! Sabe também que os riscos estão minimizados, o caminho está definido em pequenas concretizações e o Coach está ao seu “lado”.

Aliás, à medida que vai percorrendo o caminho a confiança e o prazer são cada vez maiores. Este é o segredo que todos conhecem (mas não praticam) que é ter prazer no caminho da Vida! Até que tudo acontece, atingiu o seu objetivo e tornou automático o processo de “andar de bicicleta”! Está na altura do Coach se afastar, na certeza que mais um cliente, Coachee,  atingiu os seus sonhos e o Coach também.

Não perca o próximo artigo de “Coaching…para quê?”  Leia mais artigos na página de opinião do IMEDIATO.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *