IMG 5597 scaled
Fotografia: IMEDIATO / Ricardo Rodrigues

A equipa da Biblioteca Escolar do Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira lançou o mote e os alunos aderiram com empenho ao projeto «Janelas de Escrita», que juntou estudantes dos três ciclos do ensino básico e está patente no átrio do edifício dos Paços do Concelho.

A iniciativa envolveu os anos de final de ciclo do agrupamento: os alunos do quarto ano construíram um “baralho de contos” colocado na proa da caravela, enquanto as turmas de sexto ano criaram em conjunto um livro e os estudantes do nono ano desenvolveram acrósticos, colocados na vela de uma caravela criada de raiz com materiais reutilizáveis.

O IMEDIATO esteve á conversa com os professores responsáveis pela iniciativa, Nelsa Santos, António Nogueira e Manuela Ferreira, que se demonstraram orgulhosos com o resultado da iniciativa, que exigiu “muito trabalho, muito empenho, e muito entusiasmo por parte de todos”.

“Como, com o confinamento, houve este handicap de os alunos estarem online, bem como as dificuldades patentes na escrita que já se sentiam, decidimos avançar com este projeto e depois complementamos também com a interdisciplinaridade, com a educação visual e tecnológica”, revelou Nelsa Santos.

Sendo a água o tema aglutinador para o arranque da iniciativa «Janelas de Escrita», a navegação e os Descobrimentos foram, para os professores responsáveis, o enquadramento “óbvio”, tendo em conta a ligação histórica do país ao oceano.

Assim, a tarefa do professor António Nogueira recaiu sobre a construção de uma miniatura de uma caravela, tarefa que se revelou desafiante. “Foi necessário fazer uma investigação para encontrar projetos de caravelas e acabamos por fazer o trabalho à escala”, partilhou.

Contudo, desde o início que os alunos se demonstraram interessados e colaboraram na construção da réplica, criada usando apenas materiais reutilizados. “Sentiram muita curiosidade, acompanharam o processo do início ao fim, e ficaram satisfeitos com o resultado”, sintetizou o docente.

Também Manuela Ferreira se revelou contente com o resultado da «Janelas de Escrita», que assumiu a missão de desenvolver competências da escrita e da leitura nos mais jovens, capacidades que a docente considera que se “estão a perder”.

“Este projeto exigiu muito dinamismo porque tínhamos de mediar todos os docentes e turmas. Foi um trabalho incansável, feito praticamente através das ferramentas tecnológicas, e exigiu muito dinamismo”, contou ao IMEDIATO.

A  exposição circulou pelos quatro centros escolares do agrupamento e está patente, até quinta-feira, no átrio dos Paços do Concelho de Paços de Ferreira. Contudo, este não será o fim da iniciativa «Janelas de Escrita», sendo que os professores deixaram intenções de a reatar já no próximo ano letivo.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *