Opinião: Regresso; Leitura; Cravos; Lição, Vacinas, Cultura

Parece-me não ser necessário dizer que a leitura é, cada vez mais, uma necessidade que sinto para me sentir bem. Concordo inteiramente com Umberto Eco, escritor e filósofo, que diz “A leitura é uma necessidade biológica da espécie. Nenhum ecrã e nenhuma tecnologia conseguirão suprimir a necessidade de leitura tradicional.”

Isso mesmo. Leio para saber. Leio para escrever. Leio para ver o mundo, imaginando-o. Não é possível encontrar melhor forma para viajar sem sair do espaço habitual que é a nossa casa. Através do livro, eu cruzo fronteiras, atravesso mares e oceanos, eu descubro gente que, à distância, comunica comigo…

Opto, quase sempre, pela não ficção. Procuro o ensaio, o comentário, a biografia… Parece-me assim mais possível descobrir personalidades, aprender ou acrescentar às matérias que estão mais de acordo comigo, com o que estudei, com o que ensinei também. Esse jeito, afinal, ainda o mantenho hoje e reconheço que fico mais feliz quando contribuo, de algum modo, para ajudar a acrescentar conhecimentos. Nos outros também, claro. Nos que me ouvem ou nos que ainda me lêem.

Como habitualmente, tenho em mãos dois livros para usufruir da leitura. Quase no fim, uma biografia sobre o ex-Presidente Obama e um longo texto sobre Pessoa e as mulheres da sua vida… O primeiro, é uma biografia inspiradora de uma das figuras mais influentes da História recente. É bom recordar as suas opiniões, sobre a sua liderança e inovação. Um gosto recordar como soube ultrapassar obstáculos, como soube combater a desigualdade, como soube aceitar e dominar a sua identidade.

Aprendi com este livro a pensar como o presidente mais acessível de sempre. Um homem que esteve e está à vontade quer a discutir política externa quer a sublinhar as qualidades dos seus “rappers” favoritos. Um presidente moderno que soube guiar o seu país em momentos difíceis da História recente. De Obama, registei também um parecer importante sobre a Leitura: “Ler é importante. Se o soubermos fazer, o mundo inteiro abre-se para nós”. Uma ideia que confirmo e que já registei atrás…

Quase em simultâneo, leio também sobre Pessoa. Agora um texto, quase romance. Ou isso mesmo!

Nas páginas deste longo texto é possível recordar ou rever ideias e palavras do nosso poeta da Mensagem e dos heterónimos. Como lembrar a sua infância quase perdida e também as mulheres com quem podia ter casado, como a eterna namorada Ophélia. As mulheres que o influenciaram, figuras míticas do seu tempo e até outras que tentaram afirmar-se. As outras mulheres que o rodearam: as empregadas, as vizinhas, a enfermeira Alice que, não consta que tenha existido!

Este é pois outro tipo de texto que ajuda a pensar e a reflectir e que me leva a questionar sobre quem terá realmente influenciado o percurso do escritor. A sua obra. O seu destino.

Estas são as minhas leituras no momento. No momento em que ainda espero um tempo oportuno para apresentar os dois livros que entretanto escrevi e hei-de convidar a ler… Sobre alguns dos nossos maiores escritores. Como gosto ou como sei!

Leia ainda mais artigos na página de opinião do IMEDIATO.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *