Opinião: Eleições / Livros / Evolução / Ingrato / Aqui / Professor / Rotina / Regresso; Leitura; Cravos; Lição, Vacinas, Cultura

Recentemente, foi divulgado o último ranking das Escolas e, se em anos anteriores isso me dizia muito pouco, o último não me disse mesmo nada! Porque foi um ano excepcional, essa última análise não nos disse quase nada sobre a qualidade do ensino, sobre o papel dos Professores, sobre o interesse dos pais, ou, a sua envolvência com a comunidade escolar.

É cada vez mais difícil tirar conclusões e, numa apreciação rápida, poderá dizer-se que o tal ranking serve sobretudo de publicidade grátis aos colégios privados que nunca, nunca mesmo, me convenceram. O que deveria ser discutido publicamente em cada final de ano, deveria ser o projecto educativo de cada Escola, uma vez que é isso o que realmente valoriza e diferencia as Escolas.

Todos sabemos também que uma boa Escola tem de ter professores competentes e alunos interessados, altamente motivados, todos! Os dois últimos anos lectivos (mesmo que o último ainda não tenha terminado) foram muito difíceis, complicados, mesmo!

Sentiu-se mais a saturação dos professores e, com professores cansados, diminui naturalmente a motivação e o sucesso. Criou-se uma pressão enorme e um excesso de burocracia que provocou uma complexidade maior no processo de ensino-aprendizagem. Naturalmente, terá crescido a agressividade e a gestão da sala de aula, à distância, tanto tempo, também foi afectada. Os alunos foram envolvidos de modo diferente no acto natural de aprender e, sem o professor realmente presente, perdeu-se parcialmente o seu papel fundamental que é o de ser, sempre, um inspirador… Perdeu-se igualmente uma parte importante da Escola que também ajuda a educar os pais e, com pais ausentes, terá sido fundamental a presença dos Psicólogos que, nem sempre, terão correspondido. Porque, estes últimos, também educam as emoções e, em tempos difíceis de aprendizagem, tudo terá sido afectado! Os nossos alunos merecem um ensino que os ensine mais e melhor. Merecem aprender mais, merecem um ensino que não volte atrás, que não vacile, que não se agarre exclusivamente ao manual adoptado…

Eça de Queiroz, um dos nosso escritores de eleição, terá dito: “Para ensinar, há uma formalidade a cumprir – saber!”

É isso! Os alunos são, por natureza, seres questionadores, filósofos em potência… Isso implica que o Professor saiba estimular o seu desenvolvimento para que se formem cidadãos críticos e interventivos…

Então, que diferença pode fazer um bom Professor na vida de um aluno? E a resposta terá de passar sempre pela competência e formação do Professor. Que terá de estudar, sempre! Que terá de estar motivado, sempre! Que terá de gostar muito do que faz durante todo o seu percurso. Um Professor competente e motivado saberá motivar os alunos que aprenderão mais facilmente. Um bom Professor, poderá atenuar a menor formação dos pais, acrescentando valores indispensáveis à vida das gerações mais novas, a quem estamos a entregar um futuro cheio de desafios.

Para que serve, então, um bom Professor? Para ajudar a preparar a vida que virá a seguir… Para que se possa concluir que a profissão de Professor é, sem dúvida, muito, muito importante para o futuro do país…

Leia mais artigos na página de opinião do IMEDIATO.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *