outros / Saudades / Férias / Exames / reconhecimento / Beijo / Estudante / Ser / Relação / Mudança / Vida /Ano Novo / Tempo / Coaching / Preguiça / Coaching…para quê? - Poupa / Saber Viver

Este e o próximo mês são pois os meses de excelência para as merecidas férias. Assim, e na sequência da “crónica” anterior, aproveite as férias para “desligar” a sua mente das atividades profissionais. Mas como a nossa “mente” nunca fica no vazio é natural que a ligue a outras ocupações.  A questão está em saber escolher” ocupações” positivas, que lhe permita viver as férias e sentir-se fisica e mentalmente recuperado.

Essas ocupações podem incluir um “passatempo” para o qual não tenha tido tempo para se dedicar, contacto com a natureza, atividade física, leitura de assuntos de seu interesse, contacto privilegiado com a família e amigos, etc. Apesar de sermos seres relacionais, com o meio e com os outros seres, nestas férias poderá apostar em algo diferente e mais profundo. Há quanto tempo não se relaciona consigo próprio de forma consciente? Muitas vezes vivemos em automatismos (mesmo em férias!) onde novas ocupações tomam lugar, mas sempre “voltados” para os outros!

A melhor viagem de férias que poderá fazer é uma viagem a si próprio. Esta viagem, é efetivamente para os que gostam de atividades radicais! O que será mais radical, fazer queda livre ou enfrentar as suas “sombras” acumuladas ao longo da vida? Fazer rappel ou abrir a “caixa negra” da sua vida, onde tudo está registado e pôr em ordem a sua mente? Que há de mais radical do que aprender com o passado e fazer acontecer o futuro? Que há de mais radical (e urgente) do que trabalhar a paz interna?

Na vida, o ser humano faz atividades incríveis, mas estas funcionam mais como uma máscara para alimentar o seu ego (e as fotos nas redes sociais) o que frequentemente o afasta do seu equilíbrio mental e espiritual. Quanto entusiasmo vivencia no desenrolar de determinadas atividades, mas fora destas existe uma apatia e ausência de entusiasmo por Viver?

Provavelmente, a proposta seria inverter a situação. Primeiro trabalhar em si, o desenvolvimento pessoal consciente (pensamentos, crenças, emoções, sonhos, ações,…), encontrar um fio condutor da sua Vida (por muito que este parta e tenha que o unir), e depois faça o que quiser, queda livre, rappel, viagem espacial, etc!  Não como escape ou orgulho, mas tão simplesmente  por que quer (e pode!). Fazendo analogia para os automóveis, depois de ter o “Ferrari” afinado e equilibrado, pode andar tranquilamente na estrada ou ir para um circuito puxar pelos cavalos! Assim, todos somos “ferraris” humanos, faça uma revisão ao sentido da sua Vida…e depois é só puxar por si!

Através da Prática do Coaching reorganize as suas prioridades, seus sonhos e transforme-se no ser que deseja Ser”

Não perca o próximo artigo de “Coaching…para quê?”. Leia mais artigos na página de opinião do IMEDIATO.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.