Autor: "criança"; "Fraude" "Jogo" "Liberdade"; "Juízes", "Política sem vergonha","Presságio, A vitória da frustração", "País doente"

Marcelo Rebelo de Sousa recandidatou-se à presidência da República e submeteu-se ao voto dos portugueses e adotados, mas fê-lo contra outros candidatos de plano inferior e sem imagem, por desconhecidos que eram. Ou seja – sem imagem nem obra que lhes tenha dado reconhecimento ou qualquer privilégio. Candidatos ignorados. Mas Marcelo, sempre na qualidade de Presidente do mandato que carregava, não concorria contra eles.

O grande objetivo do actual inquilino de Belém era o rival “bochechas” que levou com ele a sua marca percentual ganhadora quando ocupou a chefia da Nação – Mário Soares. Ultrapassar ou aproximar-se dos 70% é que Marcelo ambicionava e ficou muito aquém de tal bitola que o velho e gordo montador de tartarugas conseguiu em eleições com igual fim.

Por isto se conclui que Marcelo saiu derrotado deste ato eleitoral, apesar de “todos” acharem que ele venceu. Um conjunto de analistas e comentadores e branqueadores de resultados, papagueiam que o actual Presidente e fotógrafo, ainda distribuidor de papioca, obteve uma grande vitória, concorrendo contra candidatos ao mesmo ofício, de divisão regional e que nem no banco de suplentes tinham lugar.

Não percebo como é que alguns enxergam na vitória que acaba de acontecer nas urnas abertas em todo o país e por tudo o que era pavilhão de recolha de boletins de voto, acham que foi uma vitória “fantástica” quando outra metade do país já sabia que tal ia acontecer.

Quer-se dizer, que a reeleição de Marcelo para o cargo que exerce e vai exercer por mais 5 anos, não constitui qualquer surpresa exceto para os seus apaniguados e com palas na cabeça. A surpresa, até para ele, foi não ter atingido nem ter-se aproximado sequer da marca do viajante por Seicheles, que também gostava de fazer mergulho. Marcelo neste particular talvez lhe desse “umas calcinhas”.

Assim a sua “vitória esmagadora” anunciada teve apenas um sabor agridoce, a que ele juntará um bife com ovo a cavalo comprado em regime de take away, já que tortugas gigantes montadas, ainda são exclusivo do ex-presidente Mário Soares para frustração do professor de Direito nos diretos de TV, com alguma encenação!

Leia mais artigos na página de opinião do IMEDIATO.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *