Paços de Ferreira / PSD / Alexandre Costa vai ser candidato à Câmara Municipal de Paços de Ferreira
Fotografia: IMEDIATO / Ricardo Rodrigues

Após o comunicado enviado pela bancada do PS, que defende que Valentim Sousa deve “abdicar de representar o PSD em futuras negociações políticas e públicas” e que o líder da comissão política concelhia, Alexandre Costa, se deve demitir, também os sociais-democratas enviaram uma nota de imprensa, em que afirmam que não vão entrar “na infeliz baixaria política para onde o PS quer levar o debate político e o concelho”.

Esta troca de acusações surge na sequência de um episódio protagonizado por Valentim Sousa e pelo PSD na última sessão da Assembleia Municipal de Paços de Ferreira, que decorreu na passada quarta-feira. Em causa está a intervenção de Valentim Sousa na Assembleia Municipal, relativamente ao regimento daquele órgão, que prevê, entre outros, que o público que queira intervir na sessão, tenha que o fazer por escrito, com 24 horas de antecedência.

Este foi um dos pontos criticado pelo líder da bancada social-democrata, que acusou Miguel Costa, presidente da Assembleia Municipal de Paços de Ferreira, de ter levado a votação um documento que não coincidia com o elaborado pelo grupo de trabalho, do qual fez ainda parte o líder da bancada socialista Hugo Sousa Lopes

No comunicado enviado, o PSD reforça que a proposta de regimento consensualizada pelo líder da bancada parlamentar do PSD e o líder da bancada parlamentar do PS previa no n.º 2 do artigo 28.º que “durante o período de intervenção aberto ao público, qualquer cidadão pode solicitar os esclarecimentos que entender sobre assuntos relacionados com o município, devendo para o efeito proceder à sua inscrição na mesa.”

Contudo, o PSD indica que, no decorrer da assembleia, “o presidente da mesa da Assembleia Municipal referiu que aquele número 2 do artigo 28.º seria retirado”. “Mais, o regimento enviado à Assembleia para discussão não contempla a regulamentação das transmissões online das Assembleias Municipais, nem a regulação do exercício das petições públicas, como havia sido consensualizado”, indicam os sociais-democratas, justificando o seu voto contra o regimento com o facto de “condicionar a participação dos concidadãos na vida do concelho”.

O partido afirma ainda que, “apesar dos violentos insultos ao PSD, ao líder da bancada parlamentar do PSD, Valentim Sousa, e, designadamente, ao presidente da Comissão Política do PSD de Paços de Ferreira, Alexandre Costa”, recusa ingressar na “infeliz baixaria política para onde o Partido Socialista quer levar o debate político” no concelho.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.