Rota do Românico / Turismo_Tâmega e Sousa
Fotografia: Rota do Românico

O projeto de turismo literário “Viagem a Portugal”, criado por técnicos das Associações de Municípios do Vale do Sousa (Valsousa), do Baixo Tâmega e dos Municípios de Baião e Marco de Canaveses, foi distinguido pelo programa nacional ALA+T – Qualificar para o Turismo.

Na base da ideia está a obra de José Saramago com o mesmo nome, escrita na sequência de uma viagem do famoso autor português pelos quatro cantos do país, de outubro de 1979 a julho de 1980. Assim, o projeto pretende conceber um produto turístico que ligue o património da região à literatura.

 

Em comunicado, a Rota do Românico explicou que, na sequência do projeto, está prevista a criação de três guias turístico-literários propostos por escritores contemporâneos reconhecidos, a realização de oficinas de formação para o desenho de pacotes turísticos temáticos e campanhas de comunicação e marketing, de forma a divulgar a iniciativa.

A “Viagem a Portugal” foi desenvolvida integralmente por técnicos da Rota do Românico (Duarte Pinheiro e Ricardo Magalhães, das Associações de Municípios do Vale do Sousa e do Baixo Tâmega) e dos Municípios de Baião (Aida Ribeiro e Dora Pinto) e do Marco de Canaveses (Cidália Mota e Gorete Babo).

Projeto de turismo pode vir a receber financiamento

Depois de ficar entre os 13 distinguidos da segunda edição do programa nacional ALA+T – Qualificar para o Turismo, promovido pelo IPDT — Turismo e Consultoria, com o apoio do Turismo de Portugal, o trabalho vai ser acompanhado pela entidade, “de forma a estruturar as propostas finais que poderão ser objeto de financiamento por parte daquele instituto público”.

As distinções foram apresentadas na quinta-feira, através de uma cerimónia digital, que contou com a participação da secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, e do presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo.

Para além da “Viagem a Portugal”, foram também premiados os projetos “Portugal Rocks” (dos municípios de Montemor-o-Velho, Penacova e Peniche) e “Ria Formosa Através da Realidade Aumentada” (dos municípios de Faro e Olhão).

As duas edições do programa ALA+T contaram com mais de 230 participantes, em representação de 120 entidades da administração local.

Já na primeira edição, que aconteceu no ano passado, foi distinguido um projeto da região, o “DNA — Digital Nomads Adventure”, apresentado pela Comunidade Intermunicipal (CIM) do Tâmega e Sousa e pelos municípios de Amarante, Baião, Cabeceiras de Basto e Mondim de Basto.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *