Penafiel vai acolher dois parques eólicos em investimento de 250 milhões de euros
Fotografia: Capital Energy

A Câmara Municipal de Penafiel anunciou a oficialização de um contrato de captação de investimento com a empresa espanhola Capital Energy com vista à instalação de dois parques eólicos no concelho, num investimento de cerca de 250 milhões de euros.

Segundo um comunicado divulgado pela autarquia, as duas centrais eólicas vão ser denominadas de “Carlinga” e “Zonda” e  vão nascer em terrenos das freguesias de Capela, Lagares e Figueira, Valpedre, Duas Igrejas, Luzim e Vila Cova.

“Além de representar o maior investimento de sempre em Penafiel, este investimento trará não só ganhos diretos como indiretos, uma vez que a empresa internacional vai recorrer a empresas locais no âmbito da execução do projeto, o que se traduz em ganhos claros para a economia do concelho, como por exemplo a realização de obras de beneficiação de vias municipais e de caminhos florestais e, ainda, à valorização paisagística das zonas intervencionadas”, indica a nota da autarquia.

As duas centrais vão ser dotadas de 19 aerogeradores com uma potência de 106 MW que terão capacidade para produzir 253 GWh/ano, uma capacidade suficiente para “fornecer eletricidade a cerca de 200.000 habitações”, explica a Câmara Municipal de Penafiel.

A título exemplificativo, a autarquia estima que a energia produzida seja suficiente para alimentar a região do Tâmega e Sousa ou a cidade do Porto e que, comparando a uma central de carvão, as duas centrais permitam poupar a emissão de mais de 200 mil toneladas de CO2 para a atmosfera.

O projeto da empresa espanhola já conta com aprovação da Agência Portuguesa do Ambiente, que aprovou o estudo de impacto ambiental, sendo que se prevê que as obras avancem até ao final do verão de 2022, com a inauguração das centrais até ao fim do verão de 2023.

Os componentes do parque eólico vão chegar a Portugal por via marítima ao porto de Leixões e posteriormente, por camião até aos futuros parques, cujo período de vida útil será de 25 anos.

Citado em comunicado, o presidente da Câmara Municipal de Penafiel, Antonino de Sousa, afirma que “este é um projeto muito ambicioso para Penafiel e não só”. “Além de se tratar do maior investimento, alguma vez realizado, em Penafiel, é igualmente um grande avanço para a região e para o país ao nível da produção energética, sem esquecermos o impacto positivo em termos ambientais uma vez que estamos perante a possibilidade de alimentar cerca de 200.000 habitações com energia limpa e renovável”, considera.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.