Jogo ilegal
Fotografia: GNR

Os militares do Posto Territorial da GNR de Lordelo identificaram e constituíram arguida uma mulher de 38 anos de idade por exploração de jogo ilegal, no concelho de Paredes.

“No âmbito de uma ação de fiscalização a um estabelecimento de restauração e bebidas, os militares da Guarda detetaram e apreenderam duas máquinas que, alegadamente, serviam para a exploração do jogo ilegal naquele estabelecimento”, relatou a força policial, em comunicado de imprensa.

A exploradora e proprietária do estabelecimento foi constituída arguida, e os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Paredes.

A GNR relembra, na nota enviada, que a dependência no jogo é reconhecido como uma patologia, sendo necessário estar alerta aos sinais que revelem a adição do jogador, pois é comum que aqueles que sofrem desta perturbação ponham em risco o seu trabalho, contraiam grandes dívidas, acabando por inviabilizar a sua interação com a sociedade e adotem um comportamento autodestrutivo.

“É por este motivo, fundamental, uma fiscalização continua e presente neste âmbito, de forma a sinalizar as pessoas com esta dependência, e punir quem utiliza e explora, de forma descontrolada e dissimulada, este tipo de equipamentos ou promove jogos de fortuna ou azar”, lê-se na nota.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.