videovigilância de florestas
Fotografia: Direitos Reservados

As florestas de nove concelhos pertencentes à Área Metropolitana do Porto, um deles o de Paredes, vão ser monitorizadas através de um sistema de videovigilância para a prevenção e deteção de fogos florestais. Este sistema funcionará ininterruptamente, sendo operado pela GNR.

No total, vão ser colocadas 33 câmaras em 11 torres de vigilância, dispostas por áreas florestais consideradas como “prioritárias” de acordo com a classificação do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, revela o despacho publicado esta semana em Diário da República.

Esta rede de videovigilância vai estar disponível em nove concelhos –  Vila do Conde, Santo Tirso, Maia, Vila Nova de Gaia, Valongo, Paredes, Gondomar, Vale de Cambra e Arouca – “dando integral cumprimento às disposições legais aplicáveis”, indica o documento.

Assim, apenas o chefe de operações, treino e relações públicas do Comando Territorial do Porto da GNR será responsável pela conservação e tratamento dos dados, sendo que as funcionalidades analíticas do sistema apenas são permitidas para a deteção de colunas de fumo e focos de incêndio e é proibida a captação e gravação de som.

O despacho publicado indica ainda que deve ser efetuado o barramento dos locais privados, “impedindo a visualização quando as câmaras incidam sobre edifícios privados e zonas privadas envolventes” e que não é permitido o uso de câmaras ocultas. O sistema de videovigilância  pode ser usado por um período de dois anos, após o qual poderá ser formulado pedido de renovação.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *