Fernanda Ribeiro
Fernanda Ribeiro foi uma das distinguidas na Gala do Centenário da Federação Portuguesa de Atletismo

A Gala de comemoração dos 100 anos da Federação Portuguesa de Atletismo, realizada no passado dia 18, provocou um mau estar entre antigos atletas e dirigentes pela forma como os treinadores de grandes campeões do passado foram ignorados na cerimónia.

A primeira a manifestar a sua indignação foi Fernanda Ribeiro, antiga campeão olímpica em parceria com o seu treinador professor João Campos, que abandonou a cerimónia antes do final. Em declarações à imprensa, a penafidelense confirmou a sua imediata saída do cargo de vogal da FPA, consequência da “humilhação ” porque passou o “treinador mais medalhado de sempre” ao ser ignorado na cerimónia.

“Isto é o centenário, por isso tem de ser para os melhores nestes 100 anos. É para o melhor atleta, para o melhor treinador…”, considerou Fernanda Ribeiro, confirmando ainda ter recebido mensagens de outros treinadores solidários com a sua decisão.

A campeã olímpica dos 10.000 metros em Atlanta’1996 e bronze em Sydney’2000 e que atualmente tem uma escola de atletismo na Maia, ficou incrédula por na Gala do Centenário da FPA, João Campos não estar integrado na eleição dos melhores treinadores, que foram Moniz Pereira, João Ganso, José Uva e Sameiro Araújo. “João Campos, quer queiram, quer não, é o treinador com mais medalhas. E basta”.

Entretanto, João Ganço, o treinador que fez de Nélson Évora campeão olímpico (e mundial), e um dos homenageados, também renunciou ao cargo de vice-presidente da Federação Portuguesa de Atletismo, liderada por Jorge Vieira. As razões foram as mesmas que apresentou Fernanda Ribeiro.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.