A GNR deteve, na quarta-feira, um homem de 35 anos por violência doméstica no concelho de Paredes. O suspeito chegou a espancar a vítima, a sua companheira, com uma trave de madeira e a obrigá-la a ficar em água gelada por duas horas.

Em comunicado, a força policial referiu que os militares apuraram que “o suspeito exercia violência física e psicológica, ameaças de morte, injúrias, humilhações e desprezo para com a vítima, com quem mantinha uma relação (…) há cerca de um ano”.

Durante esse período, foram vários os episódios de agressões físicas, “chegando a ser obrigada a permanecer dentro de uma banheira cheia de água gelada por duas horas, bem como num lugar ermo (isolado), tendo sido alvo de espancamento com uma trave de madeira.”

Na quarta-feira, a vítima voltou a ser agredida, “ficando impedida de se deslocar a um posto médico para receber assistência médica, bem como ir a uma farmácia para adquirir analgésicos para as dores”.

Contudo, após bastante insistência, a vítima de 30 anos conseguiu convencer o agressor a levá-la a uma farmácia, onde aproveitou para pedir socorro, tendo sido encaminhada para uma casa abrigo.

“O suspeito tentou coagir a companheira a desistir do procedimento criminal, ameaçando de morte o filho desta, fruto de outro relacionamento, e a mãe da mesma”, afirmou a Guarda.

O homem, que já tinha cumprido cinco anos e nove meses de prisão por violência doméstica, coação e ofensa à integridade física grave, foi levado a tribunal, onde lhe foi aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

Já em março, o suspeito tinha-se “livrado” de uma pena de um ano e seis meses, que não chegou a cumprir através de um perdão devido à pandemia de Covid-19. Tem, ainda, um processo pendente de outro crime desta natureza, com outra vítima, estando a aguardar julgamento desde o ano passado.

AEPF Formação Modular