redes

De ano para ano, cada vez mais é patente a importância do digital/online para os portugueses. Na verdade, começa a ficar enraizado nas mais variadas áreas económicas. Para contextualizar, em 2021, havia mais de 8,5 milhões de usuários de Internet e a penetração da Internet foi de quase 85%.

Mas, fica a questão, o que procuram os portugueses na internet? É exatamente esse ponto que vai ser abordado no presente artigo.

E-commerce (comércio eletrónico)

O comércio eletrónico teve um enorme crescimento nos últimos anos, visto que os consumidores começaram a fazer compras online devido à agilização de cada vez mais plataformas. Sendo ainda que, Portugal teve um dos maiores crescimentos na Europa neste setor.

Com efeito, a forma de fazer negócios mudou e muitas lojas físicas optam pelo omnichannel. Como resultado, a concorrência online está a tornar-se mais feroz. Isso porque, as lojas ficam cada vez mais capacitadas, fruto da consciência para um melhor marketing digital. O consumidor quer comodidade, rapidez e um processo de compra intuitivo. Logo, o e-commerce é um extra para qualquer tipo de negócio.

Redes sociais

Entre Facebook, Instagram, TikTok ou até mesmo LinkedIn, cada vez mais são os portugueses que consomem os conteúdos colocados nas diferentes redes sociais. E, 2022 não é exceção.

Ora por efeito social, viralidade ou até mesmo como método de comunicação, essas plataformas vieram para ficar e estão artilhadas de ferramentas para facilitar a interação entre conhecidos e desconhecidos.

Atualmente é muito difícil ficar indiferente à partilha de conteúdos de influencers, notícias online ou até mesmo estar mais ativo com o perfil pessoal.

eSports e jogos tradicionais online

Hoje em dia, é impossível mencionar essas duas áreas separadamente. Isso porque o ecossistema deles se tornou o mesmo: a world wide web. Com cada vez mais adeptos, ambas os mercados têm vindo a crescer em Portugal, muito graças a conteúdos que cativam os utilizadores e os levam a bons momentos de diversão.

Os eSports têm vindo a trabalhar junto dos gamers mais aficionados, com diversas marcas portuguesas (como a Worten ou a SIC) a impulsionar as competições, que vão desde pequenos torneios entre comunidades até ao mais alto nível de disputas, tanto online como presencialmente, chamando, por isso, cada vez mais jogadores e equipas profissionais.

gaming

A segunda categoria são os jogos tradicionais, que também são cada vez mais relevantes. Um exemplo importante é o pôquer de jogos de cartas em plataformas como o PokerStars, onde o número de jogadores está em constante expansão e tanto partidas individuais quanto torneios inteiros, semelhantes aos eSports, estão sendo realizados, online e ao vivo. E também o xadrez tradicional do jogo de tabuleiro é cada vez mais popular, sendo sites como o Chess.com especialmente relevantes, onde até profissionais como Magnus Carlsen têm seus perfis e jogam regularmente.

Plataformas de streaming

Os filmes são uma parte fundamentalmente importante da cultura popular, seja o mais recente blockbuster de Hollywood ou um filme apresentado num festival de cinema independente em Penafiel, como a extensão do IndieLisboa. No entanto, embora os filmes ainda sejam importantes, as novas formas de consumo e entretenimento televisivo mudaram completamente os hábitos dos consumidores em relação ao e do cinema.

Como tal, as plataformas de streaming tornaram-se comuns em muitas casas em Portugal. Esse tipo de serviço on demand, casos da Netflix, HBO, Amazon Prime ou a Disney+, oferecem um pacote de programas, filmes e séries para ver como e quando quiser. Além disso, trabalham ciclicamente para ter novos conteúdos sempre que possível.

Para quem ainda não tem esse tipo de plataforma, o ideal é dar uso aos períodos de teste gratuitos sem compromisso de permanência. Desta forma, é possível ver qual se adequa melhor ao gosto pessoal, e depois sim, decidir aquela que vai de encontro às necessidades de entretenimento e lazer lá de casa.

Revistas e jornais digitais

Tal como muitos setores, a imprensa também passou por um grande processo de digitalização. Quem diria que as notícias mais recentes iam ser lidas em telemóveis? Ou existiriam exclusivos apenas nos canais digitais?

É verdade, o consumo agora é maior, o que ajuda a incluir cada vez mais pessoas no mundo atual. A globalização também ajudou, é certo, mas o consumidor procura sempre a comodidade e rapidez de leitura para estar informado.

Entre subscrições mensais ou anuais, já é possível ter toda a informação dos jornais e revistas preferidos à distância através de um dispositivo móvel.

A título de curiosidade, o jornal generalista Público é o mais procurado pelos internautas, via subscrição.

Conteúdos vídeo e áudio

microfone audio

Plataformas como o YouTube, Twitch (também é de streaming, ainda que mais direcionada para outros conteúdos) ou Spotify, são consumidos sagazmente pelos portugueses.

Ora para procurar conteúdos informativos, ouvir podcasts, descobrir novas tendências gaming ou simplesmente por diversão e curiosidade, esses apps estão a dar voz e profissão a jovens (e até mesmo adultos) em diversos setores.

YouTuber, Vlogger, Streamer, entre outros, são a realidade de muitos e as aspirações de outros tantos. Contudo, para isso acontecer têm de criar conteúdo. E é isso o motivo que leva os portugueses a navegarem entre plataformas.

Com efeito, estas tendências provam que o mundo não se resume ao seu “estado físico”. Nos dias que correm quem não se encontra no online, fica para trás com o seu negócio. E isso, num universo de consumo digital e presente, não pode acontecer.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.