autocarro 1

As empresas privadas de autocarros que operam na região, a Valpi e a Auto Viação Pacense, vão começar a abrir algumas linhas depois de terem reduzido os seus horários devido à onda de baixa procura resultante da pandemia de coronavírus.

Ao IMEDIATO, o diretor comercial da Valpi (que opera em Penafiel, Porto, Matosinhos, Valongo, Paredes, Lousada e Amarante), José Mendes, adiantou que a empresa está a trabalhar em coordenação com a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Tâmega e Sousa e com a Área Metropolitana do Porto (AMP) para definir que linhas reabrir.

“Na CIM do Tâmega e Sousa voltamos com as linhas essenciais para quem trabalha e, de forma geral, toda a área está coberta. Na AMP, temos três autocarros na carreia Penafiel-Porto e na linha 61 (que liga Valongo a Matosinhos) temos quatro”, contou ao IMEDIATO.

Segundo o diretor comercial da Valpi, ainda que na AMP já se cobrem os bilhetes de circulação, na CIM do Tâmega e Sousa ainda não são necessários títulos de viagem, para evitar o contacto entre passageiros e motoristas ainda vigora.

O uso de máscaras é obrigatório para circular nos autocarros, medida que, segundo José Mendes, “tem sido acatada” pelos passageiros. A partir de segunda-feira, a entrada volta a ser feita pela porta da frente, numa tentativa de “voltar à normalidade”.

Contudo, ainda que se tenha notado “um crescimento gradual no número de passageiros”, para José Mendes, a empresa vai “demorar algum tempo” a voltar ao normal, porque teve de recorrer ao lay-off parcial e sofreu uma quebra de receitas “quase total”.

Além disso, o aluguer de autocarros, bem como visitas de estudo e outros serviços que ofereciam um complemento de receitas vão estar suspensos “pelo menos até setembro”.

Com 200 funcionários no total, 135 dos quais motoristas, a Valpi está neste momento a funcionar com escalas de 20. Pode consultar as linhas disponíveis na sua zona aqui.

Em situação semelhante está a Auto Viação Pacense, que também recorreu a lay-off para cortar despesas, mas que já voltou a operar em algumas carreiras que tinha encerrado. O IMEDIATO tentou entrar em contacto com a empresa para perceber melhor a sua realidade, mas tal não foi possível até à data.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.