Tribunal1 1

Um professor de 49 anos de Vila Real, foi condenado pelo Tribunal de Penafiel a uma pena de cinco anos de prisão, suspensa na sua execução, por 15 crimes de abuso sexual cometidos contra duas alunas, de 9 e 12 anos, de Penafiel. O homem, que continuou a lecionar após o sucedido, fica ainda proibido de exercer funções que envolvam menores, durante um período de cinco anos, mas a medida só entra em execução após o trânsito da decisão em julgado.

No julgamento, ficou provado que os crimes ocorreram no ano letivo de 2014/2015 numa escola de Penafiel, onde as vítimas estudavam. O homem abusou das duas menores, no interior da sala de aulas, apalpando-lhes os seios e as zonas genitais. Em outras ocasiões, teve com uma das alunas conversas de teor pornográfico e teceu comentários ao corpo da mesma.

O caso foi denunciado pelas menores aos responsáveis da escola, mas só cinco anos depois foi formalizada a queixa.

Durante o julgamento, o professor – que deixou a escola penafidelense após o sucedido, mas continua a lecionar em Vila Real – negou os factos e quis convencer o tribunal de que era impossível ter tocado nas crianças, alegando que se terá tratado de uma vingança da professora a quem as menores contaram o sucedido.

O professor foi condenado a uma pena de prisão de cinco anos, suspensa na sua execução. Fica ainda obrigado a submeter-se a uma avaliação na área da sexualidade e a pagar indemnizações de 1700 e 1400 euros às duas vítimas. Após trânsito em julgado da decisão do Tribunal, o professor fica proibido de exercer funções que envolvam menores durante um período de cinco anos.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *