Autor de: "Ciclistas"; "Calçada", “Isto é próprio de um país saloio(…)”,"Green” blá, blá, blá. “Clean”, blá, blá. “Healthy”, Blá blá, blá blá…

Já estou a ficar com os olhos vesgos… só vejo chegarem e partirem riscas. Ora as riscas são em paralelepípedos brancos, ora com largas lajes de cimento branco, ora em… sei lá de que maneiras e feitios. Se de cada vez que vi substituírem as passadeiras para peões na cidade de Penafiel tivesse tirado umas fotografias, hoje teria um excelente catálogo… Na maioria das fotos poderia por a nota “Curta duração”, ou “Propicias a situações de perigo”, ou “…”.

Também já vi serem postas “luzinhas” no chão, nas passadeiras para peões. Vi as “luzinhas” do chão serem substituídas por outras “luzinhas” no chão… Agora nem sei se tem algumas luzinhas… Talvez não tenha e talvez venha a ter novamente… Vi passadeiras iluminadas pelos candeeiros que iluminam toda a rua, vi passadeiras iluminadas por candeeiros próprios para iluminar só as passadeiras (no fundo da foto poderia por a legenda “sujeitos a roubo”)… mas, claro, também já vi em alguns desses candeeiros específicos para passadeiras para peões terem as suas luminárias substituídas… inicialmente eram maiores (e muito “roubáveis”), as mais recentes são mais pequenas… (ainda não sei se são muito ou pouco “roubáveis”)…

Há muito de tudo e para todos os gostos e feitios e, como o penafidelense paga adiantado… não tem de se queixar do serviço (ou custos).

Onde as passadeiras para peões são realmente fundamentais, nas freguesias, quase que “nem vê-las” … E com iluminação no chão ou com iluminação no ar? Seguramente “nem vê-las”, completamente apagadinhas… Mas a maioria das freguesias também paga adiantado! Nada de novo… nada a estranhar.

Estas passadeiras foram todas (inúmeras) pagas pelo orçamento do Município? A sua substituição, por terem resultado inadequadas, também foram pagas pelos munícipes? O facto de terem falhas de funcionalidade (resultando até em acidentes) foram sempre falhas de escolhas do município? Ou foram, alguma vez, imputadas responsabilidades/custos a terceiros? Não porque essa imputação seja de grande efeito, a expressão diz que “há muitas maneiras de matar pulgas…”.

Mas, preocupação de futuro: Que longevidade está prevista para as passadeiras que andam agora a ser renovadas?

Vai sobrar alguma coisinha para as freguesias (pelo menos para as que não pagam adiantado)? E estou mesmo a falar só das “riscas”… Luzinhas? Nem em sonhos! O céu está carregado delas!

Leia mais artigos na página de opinião do IMEDIATO.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *