Paredes Policia Municipal
Fotografia: Município de Paredes

Uma semana depois de o primeiro-ministro, António Costa, ter anunciado que Paredes não ia avançar no processo de desconfinamento com a maioria do país, a ministra do Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, confirmou que não é desta que o concelho dá um passo em frente.

Em conferência de imprensa depois do Conselho de Ministros, foi anunciado que o concelho, juntamente com Carregal do Sal, Resende e as duas freguesias de Odemira, não registou uma incidência cumulativa inferior a 120 casos por 100 mil habitantes, mantendo-se, assim, bloqueado no penúltimo nível de desconfinamento.

Paços de Ferreira, Penafiel e Castelo de Paiva mantêm-se na lista de 23 concelhos “em alerta”, podendo ficar em risco de parar ou recuar no desconfinamento na próxima semana, altura em que vai ser realizada uma nova avaliação. Na última quinta-feira, eram 27 os concelhos nesta situação.

A nível nacional, a ministra considerou que a pandemia está “controlada”, sendo que os níveis de incidência caíram para “quase metade”, passando de 88,49 por cada 100 mil habitantes a 14 dias para 59 por cada 100 mil habitantes a 14 dias. Também o risco de transmissibilidade (Rt) está “confortavelmente” abaixo de 1, colocando país enquanto “um todo” na zona verde no mapa de risco de covid-19, adiantou Mariana Vieira da Silva.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


2 comments

  1. Paredes que fechem as feiras onde a maioria dos feirantes das 5h às 7h30 da manhã andam a montar barracas sem máscaras. Só colocam quando a polícia Municipal aparecem. Nada disto tem cabimento fecham os bancos do parque que é ao ar livre e apenas 3 pessoas podem se sentar mas abrem as feiras com uma aglomeração incontrolável de pessoas. RIDICULO

  2. A manifesta falta de fiscalização, mesmo quando as autoridades são chamadas para intervir e nada fazem, levam a que situações reiteradas de violação das medidas implementadas sejam diárias. Não podem continuar a fechar os olhos como se não soubessem que a comunidade jovem do Concelho nada tem para fazer a não ser juntarem-se em grupos, em locais já conhecidos de todos para, além de vandalizarem espaço público (exemplo capela do Calvário) adotarem comportamentos de risco para saúde pública… para já não falar dos associados ao consumo de estupefacientes…
    As patrulhas de proximidade nos centros das cidades, para serem eficazes, tem de ser feitas apeadas… não basta andar nas estradas nacionais e ruas com viatura a transmitir mensagens escritas… façam cumprir a lei e apliquem as coimas que tiverem de aplicar… de outra forma quem continuará a suportar os prejuízos serão os mesmos… os cumpridores…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *