Luis Miguel Silva

Luís Miguel Silva, jovem investigador do Centro de Investigação Transdisciplinar “Cultura, Espaço e Memória”, da Universidade do Porto, venceu o Prémio Liberdade Religiosa com um trabalho de investigação sobre a liberdade religiosa durante a participação portuguesa na Primeira Guerra Mundial.

A distinção, promovida pela Comissão de Liberdade Religiosa e pelo Ministério da Justiça, reúne um júri com elementos das várias Igrejas e confissões religiosas nacionais e escolheu o trabalho do investigador de 25 anos.

 

“A nível pessoal e académico o prémio foi bastante importante para mim. Trata-se de um primeiro grande marco na minha jovem carreira científica. No fundo, é o corolário de um longo trabalho desenvolvido ao longo de três anos. Ao mesmo tempo também é um sinal de que estou a ir num bom caminho e que terei pela frente novos e exigentes trabalhos de investigação para os quais terei de continuar a dar o meu melhor”, reagiu o jovem natural do concelho de Paços de Ferreira.

O tema da investigação une duas áreas de estudo prediletas para Luís Miguel Silva: a religião (andou seis anos no Seminário Missionário Padre Dehon) e a história militar. O facto de ter ingressado no Mestrado em História Contemporânea e o centenário da participação portuguesa na Primeira Grande Guerra, comemorado em 2018, foram o pretexto para que se ter lançado no projeto e estudado a religiosidade dos combatentes portugueses durante o conflito.

Ao longo de três anos, o jovem investigador baseou o seu trabalho nas memórias e diários de guerra dos combatentes portugueses – e a investigação valeu-lhe o Prémio Liberdade Religiosa, com votação unânime por parte do júri.

Luís Miguel Silva já está a trabalhar numa nova investigação, no âmbito do seu doutoramento em História pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia. O jovem está a estudar a história religiosa, missionária e colonial portuguesa em Moçambique no século XX, com base em diversos arquivos portugueses e estrangeiros.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *