Presidente da Câmara Municipal de Felgueiras, Nuno Fonseca
Fotografia: Câmara Municipal de Felgueiras

O Município de Felgueiras emitiu, esta sexta-feira, um comunicado em que assume a posição de estar contra a exploração de lítio no concelho. Uma das zonas que recebeu “luz verde” do Governo para o arranque do processo de prospeção e pesquisa de lítio, o «Seixoso-Vieiros», engloba uma área de 144,215 quilómetros quadrados entre os concelhos de Felgueiras, Amarante, Fafe, Celorico de Basto, Guimarães e Mondim de Basto.

“Na fase de discussão pública, o executivo municipal inconformado, fez questão de apresentar uma proposta de reclamação junto da DGEG relativamente a esta matéria, no entanto a DGEG não acolheu a totalidade dos argumentos apresentados pelo nosso Município. (…) Naquilo que depender da Câmara Municipal, a exploração não avançará! “, afirma o presidente da autarquia de Felgueiras, Nuno Fonseca, citado em comunicado de imprensa da autarquia.

O autarca felgueirense apelou também à “serenidade no debate” desta questão, de forma a evitar “que se gere alarmismo ou transmissão de informação que, por falta de rigor técnico, poderá confundir a população na sua análise”.

“Neste momento, aquilo que é previsto avançar é a prospeção, ou seja, os estudos para a verificação da existência de lítio no território e das quantidades previsíveis. Isto significa que teremos um conhecimento mais aprofundado daquilo que poderá ou não existir no nosso solo e que, enquanto população deste concelho, temos o direito de conhecer. A prospeção não significa que haverá exploração”, explica Nuno Fonseca, garantindo que não haverá exploração de lítio no concelho “com a anuência da Câmara Municipal”.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.