A autarquia de Paços de Ferreira anunciou esta segunda-feira uma série de medidas para prevenir a chegada do coronavírus (COVID-19) ao concelho. Vários edifícios municipais vão ser encerrados e feiras, mercados, bem como todos os eventos municipais vão ser suspensos.

Em comunicado, o município anunciou que “apesar de não existirem casos confirmados de COVID-19 em cidadãos do concelho de Paços de Ferreira”, o presidente da Câmara Municipal, Humberto Brito, decretou uma série de medidas de prevenção devido à proximidade geográfica com os concelhos de Lousada e Felgueiras.

Pelo menos até ao final do mês de março, vários edifícios municipais, com a exceção da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, vão ficar encerrados.

A lista de edifícios inclui a Biblioteca Municipal de Paços de Ferreira, a Casa da Cultura de Freamunde, o Museu Municipal-Museu do Móvel, o Museu Arqueológico e o Centro Interpretativo da Citânia de Sanfins. Além destes, também as Piscinas Municipais de Paços de Ferreira e de Freamunde vão encerrar, assim como os pavilhões desportivos do concelho e o Mercado Municipal.

Ainda que os serviços municipais se mantenham abertos e em pleno funcionamento, a autarquia avisa que “devem ser procurados pelos munícipes apenas para situações urgentes, devendo-se privilegiar o contacto via telefone ou e-mail”.

Também pelo menos até março, todas as feiras, mercados e eventos organizados e promovidos pela Câmara Municipal vão ser suspensos.

Presidente da Câmara solicitou antecipação de férias da Páscoa para escolas

Quanto ao funcionamento dos estabelecimentos educativos do concelho, a Câmara Municipal relembrou no comunicado que a entidade encarregue pelas decisões é o Ministério da Educação.

Contudo, é referido que Humberto Brito “diligenciou, hoje, junto dos ministérios da Educação e da Saúde, no sentido de serem adotadas medidas preventivas por parte destas entidades”.

Segundo a autarquia, o presidente da Câmara Municipal solicitou a interrupção imediata das aulas, “antecipando-se desta forma o período de férias da Páscoa”.

“Esta medida resulta do facto de existirem nas nossas escolas muitos alunos e professores provenientes de Lousada e Felgueiras, concelhos onde foram encerrados os respetivos estabelecimentos de ensino”, refere o comunicado.