Jorge Simão
Fotografia: IMEDIATO / Ricardo Rodrigues

Jorge Simão foi oficialmente apresentado como treinador do FC Paços de Ferreira esta quinta-feira, em conferência de imprensa. Ao lado do presidente do clube, Paulo Meneses, o técnico de 44 ano resumiu a sua missão numa palavra: “consolidar”.

“Vinha a subir as escadas e pareceu-me um déjà-vu porque ainda me recordo perfeitamente do primeiro dia em que me sentei nesta cadeira, também com o presidente ao meu lado. Sinto-me muito satisfeito de estar aqui pela segunda vez, trata-se de voltar a um sítio onde senti coisas muito positivas e sensações muito confortáveis”, começou por dizer o técnico de 44 anos, que já tinha passado pelo clube em 2015/2016.

Falando dos objetivos para a próxima época, Jorge Simão considerou que uma palavra resume a tarefa em mãos – consolidar a posição do FC Paços de Ferreira e afirmá-lo na I Liga nacional. “Consolidar significa competir no campeonato para que evitar que aconteçam épocas de altos e baixos como num passado recente. (…) Acho que esta palavra nos deve guiar e deve ser o farol para esta época”, defendeu o técnico.

Brevemente, os Castores também se vão estrear numa nova competição europeia, a UEFA Conference League, que, para Jorge Simão, é uma “grande oportunidade” para promover o clube, a própria cidade e todos aqueles que vibram com o emblema pacense e que vai ser agarrada “com unhas e dentes”.

Questionado sobre o “agressivo” arranque da equipa, com pelo menos sete jogos no período de um mês, o treinador esclareceu que o número de encontros não condicionou a preparação da equipa, que entra em campo já na sexta-feira, pelas 20:15, para embater com o Gil Vicente por um lugar na fase de grupos da Allianz Cup.

Chamada “10 minutos depois” da saída de Pepa

Durante a sessão, Paulo Meneses adiantou que Jorge Simão foi a primeira e única opção para assumir as rédeas dos Castores, tendo lançado o convite ao técnico “dez minutos depois” de saber que Pepa não iria continuar vinculado ao clube.

“O convite foi feito ao treinador dez minutos depois de me ter sido comunicado pelo treinador anterior que não estaria disponível para continuar. Portanto, desde aquele momento que a disponibilidade para falarmos foi imediata”, disse aos jornalistas, recordando a “histórica” época conseguida em 2015/2016, com um sétimo lugar e 49 pontos somados.

À semelhança de Jorge Simão, também para o presidente do FC Paços de Ferreira o principal objetivo para a próxima época passa por assegurar a manutenção na elite desportiva nacional, não sendo, contudo, “redutor” assumindo essa como sendo a única meta do clube. “Só alcançando a manutenção é possível equacionar outros objetivos”, defendeu.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *