Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa "dá as mãos" com Câmara de Comércio Portugal-China
Fotografia: CETS

O Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa (CETS) e a Câmara de Comércio de Pequenas e Médias Empresas Portugal-China (CCPC-PME) assinaram um protocolo de cooperação para promover oportunidades de negócio bilaterais para o apoio ao tecido empresarial.

O documento, assinado pelos representantes das duas entidades na Casa das Torres, em Felgueiras, prevê uma colaboração mútua e ativa no sentido de promover o apoio à internacionalização das Pequenas e Médias Empresas do Tâmega e Sousa, com base na especialização produtiva da região.

Apresentando como objetivo promover a promoção da projeção internacional da indústria transformadora da mesma, nomeadamente através do intercâmbio de oportunidades de negócio, da criação de um programa consistente de missões empresariais aos mercados alvo definidos para as empresas, mas também missões inversas.

Após a assinatura do protocolo, Y Ping Chow, presidente do Concelho Executivo da CCPC-PME, destacou a importância da cooperação entre as duas instituições. “A Câmara do Comércio foi criada no ano passado, estamos focados no meio empresarial e, nesse sentido, gostaríamos de fortalecer as relações entre o CETS e a nossa nova Câmara de Comércio. Tenho a certeza que com o apoio e esforço de ambos vai haver resultados”, afirmou.

Já para o CETS, o estreitamento de relações entre as duas entidades vai de encontro às políticas e práticas de internacionalização das empresas do Tâmega e Sousa, com vista à consequente melhoria da competitividade regional.

Emídio Monteiro, presidente do CETS, destacou como principal objetivo apresentado pelo protocolo “que a região do Tâmega e Sousa tenha um desenvolvimento mais atrativo e mais incisivo na China”.

O presidente do CETS destacou ainda que o papel principal se baseia em “dar a conhecer ao mundo, e neste caso à China, que a nossa região é de excelência na produção de vários produtos e na execução dos serviços, desde o setor do agroalimentar, passando pela fileira da moda, à construção, metalomecânica, à madeira e ao mobiliário, entre outros”.

Artigo editado por Ricardo Rodrigues.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *