crianças
[Foto por Bermix Studio em unsplash.com]

Vivemos num mundo cada vez mais globalizado, onde é cada vez maior o número de pessoas com acesso à internet. No caso de Portugal, segundo o instituto de estatística, em 1997 os assinantes à internet era apenas cerca de 88.670 pessoas – vinte e três anos depois, em 2020, os números são muito superiores, atingindo os 3.793.613 assinantes. Considerando que um agregado familiar tem em média dois adultos – vamos para já excluir as crianças – pode extrapolar-se que 75% da população portuguesa tem acesso à internet.

Desta forma observamos uma maior facilidade de acesso à Internet que não olha a idades e aí surge um problema: as crianças, que muitas das vezes não têm noção do “mundo” em que estão nem dos seus perigos consequentes. E os perigos são variados, como por exemplo: compras online, jogos, exploração sexual, etc. É muito fácil um adolescente (ou até mesmo uma criança) entrar num site de apostas, por exemplo, em sites de pornografia. As publicidades podem sempre despertar a curiosidade dos mais pequenos que por ver algo diferente decidem experimentar tópicos apelativos e perigosos, como bónus para jogar em casinos online. E enquanto pensávamos que estava a ler um artigo em poucos segundos já facilmente estão noutra página.

Seja num restaurante, num parque infantil é comum vermos cada vez mais crianças dependentes de um smartphone, muitas vezes os pais dizem “basta” e começam as birras que parecem sair do controlo dos pais. Há que saber definir regras, horários e manter sempre um controlo parental nas navegações. Abaixo ficam algumas dicas.

 

Como a publicidade pode influenciar as crianças

Atualmente, a publicidade está na TV, nos jornais, nas rádios, na Internet, nas paragens de autocarros, etc.  O alcance da propaganda é impressionante. E a influência exercida por ela também, em particular quando falamos de jovens e adolescentes. Já parou para pensar nisso? Pelo fato de a maioria das crianças acreditarem no que estão a ver e a ouvir, elas acreditam que o produto ou serviço anunciando lhes irá proporcionar os benefícios e prazeres apresentados.  Até aproximadamente aos 8 anos, elas misturam a fantasia com a realidade. E há que estar sempre atento.

Nos últimos tempos, existem imensas publicidades sobre casinos. As crianças ao assistir à publicidade sobre jogos de casino que prometem dinheiro fácil em novos casinos online,  pensaram que irão conseguir o dinheiro prometido e facilmente entram no mundo dos jogos. Além do dinheiro, elas podem ser atraídas simplesmente pela diversão que o jogo proporciona.

 

Observe o comportamento dos seus filhos

É indispensável evitar que as crianças utilizarem a internet por muito tempo em ambientes fechados e sem controlo parental, pois é importante estar atentos ao comportamento delas no período de navegação. Há pequenos sinais que servem de alerta, como por exemplo:

  • Minimizar ou fechar aplicações sempre que alguém chega perto
  • Fechar a porta do quarto quando estão utilizando a internet
  • Bloquear o ecrã do telemóvel e ficam nervosos quando alguém está por perto

Essas atitudes indicam que a criança está escondendo algo e possivelmente pode estar a correr algum risco. Nesse momento, o melhor a fazer é conversar e tentar perceber o que se está a suceder.
É essencial estar aberto para que a criança não se sinta intimidada e fique com medo de se abrir com o adulto sobre algo que a incomoda ou alguma situação constrangedora que possa ter ocorrido.

 

Definir horários de uso de internet

As crianças não podem estar constantemente a navegar na internet, há que negociar o tempo diário do acesso dos seus filhos online, para que dessa forma, eles possam organizar os horários para estudos e outras atividades que também são prazerosas – passear, estar com a família e amigos e praticar alguma atividade física.

Além do mais é também possível definir limites de tempo para que as crianças fiquem com o computador ligado, evitar que joguem e tenham acesso a algumas aplicações ou que executem determinados programas.

 

Controlar os sites

O controlo parental é um mecanismo utilizado pelos adultos para controlar o acesso que as crianças podem ter a diferentes sites ou aplicações. Permite monitorizar a navegação, restringir conteúdos impróprios para menores e bloquear páginas que possam ser uma ameaça para as crianças.

Se você estiver numa rede social como o Facebook, Twitter ou Instagram e ver uma publicação que não é adequada para uma criança, pode denunciá-la e o conteúdo irá desparecer da cronologia.
Fazer com que a Internet seja um lugar seguro para nossos filhos está nas nossas mãos, não se descuide enquanto eles navegam na internet.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.