Investir
Fotografia: DR

Enquanto os países continuam a emergir da pandemia e confinamento, a economia global permanece num estado de fluxo constante.

E o potencial ilimitado de novos surtos e medidas de confinamento só complica a situação, mas a boa notícia é que os investidores podem continuar a gerar lucro mesmo em mercados em desvalorização.

Mas como deve encarar investimentos durante uma recessão económica ou tempos de crise? Aqui estão algumas ideias a ter em mente.

É seguro investir durante uma crise?

A resposta curta: sim, mas muito depende da natureza da sua carteira e das suas classes de ativos preferidas.

Por exemplo, o valor de ações tendem a diminuir durante períodos de recessão, por isso investidores mais experientes que focam fortemente em ações podem ver o seu nível de exposição e risco aumentar durante uma recessão.

Naturalmente, há sempre exceções a esta regra, com ações de plataformas de comunicação remota como  Zoom e várias empresas de dispositivos médicos em plena expansão durante a pandemia de coronavírus.

Também se pode argumentar que valores de ações mais baixos oferecem uma boa oportunidade para os investidores visarem ações de alto crescimento, mas isto requer experiência, conhecimento e uma e uma propensão para lidar com risco.

Além disso, hoje em dia, há uma série de ativos derivados disponíveis no mercado financeiro global, incluindo o forex. Este mercado permite aos investidores negociar moedas internacionais como pares maiores, menores ou exóticos, enquanto procuram especular sobre movimentos de preços, evitar a propriedade do instrumento financeiro subjacente e lucrar, mesmo num mercado em declínio.

Em que investir?

Como já abordámos, negociar ações continua a ser uma opção viável numa crise financeira, desde que se sejam ações resistentes ou com desconto que ofereçam o potencial para rendimentos duradouros e mais altos a longo prazo.

Quando falamos de ações resilientes, referimo-nos às que podem sobreviver a vários tipos de crise financeira, tipicamente as ações blue-chip, as chamadas “ações de dividendos”.

Vejamos, por exemplo, a Coca-Cola, que regularmente proporciona um rendimento de dividendosv de 3,3% aos investidores e continua a beneficiar de uma melhor e mais saudável imagem comercial.

Os ativos derivados, como as moedas, também oferecem valor durante tempos de incerteza económica, principalmente porque permitem investimentos especulativos e proporcionam aos traders flexibilidade em quando e como geram lucro.

Por exemplo, traders de moedas terão notado recentemente que o EUR/USD entrou recentemente em modo de recuperação, com este par a atingir novos máximos diários nos últimos tempos e a oferecer uma oportunidade de se protegerem contra o dólar americano.

Que Bens a Evitar

Já discutimos a importância de ser seletivo na sua abordagem se for negociar ações numa recessão.

Do mesmo modo, tentar cronometrar o mercado com ações específicas é uma excelente forma de perder dinheiro durante uma crise, particularmente dada a volatilidade das ações e índices individuais e o desafio de prever quando um determinado mercado é suscetível de atingir o seu ponto mais baixo

Ações e moedas de day trading também devem ser evitadas numa crise, visto que, embora isto possa oferecer transações de comissão zero, proporciona um caminho volátil e incerto que pode fazer com que se perca mais do que se pode arcar confortavelmente (dependendo da sua alavancagem, é claro).

Certas commodities podem também desvalorizar-se durante uma recessão, graças em grande parte a um desequilíbrio entre a oferta e a procura.

Mais uma vez, isto cria um mercado volátil e desafiante, e pode minar até os melhores planos de investimento.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.