Beijo / Estudante / Ser / Relação / Mudança / Vida /Ano Novo / Tempo / Coaching / Preguiça / Coaching…para quê? - Poupa / Saber Viver

Os dias 13 e 14 de fevereiro são tradicionalmente associados ao amor, o primeiro como dia mundial do casamento e o segundo como dia dos namorados, em homenagem a S. Valentim, conforme reza a lenda. É típico nesses dias comemorar, através das mais variadas formas e com bonitas frases escritas ou ditas, o amor que une dois seres.

A qualidade de uma relação “amorosa” obviamente não se avalia num único dia do ano! Infelizmente, no nosso país quer a violência no namoro quer a violência doméstica são ainda uma realidade. Esta violência caracteriza-se fundamentalmente por ataques verbais, psicológicos, físicos e sexuais.


“Uma relação amorosa autêntica é portanto aquela onde a busca de uma sintonia física, mental e espiritual é uma realidade”


Infelizmente muitas das vítimas ainda têm a ilusão que aquele(a) que a(o) agride no namoro, mais tarde, quando viverem juntos, vai mudar de comportamento porque gosta dela(e). A realidade é bem diferente e frequentemente o nível de violência e de chantagem emocional vai aumentando com o tempo. Assim, as promessas verbais de grande paixão e amor são vazias se não vierem acompanhadas de atitudes/ações coerentes e congruentes, onde o respeito, a confiança, a liberdade, a sinceridade, a responsabilidade, o apoio, etc, têm de estar sempre presentes.

Relações amorosas saudáveis não são as relações perfeitas ( pois estas não existem) mas aquelas em que cada um se vê como perfectível e responsável pela melhoria contínua do relacionamento. Neste ambiente dinâmico de superação consciente, aprofundam-se as sintonias e diminuem-se dessintonias criando-se assim uma relação profunda, assente no verdadeiro Amor.

Uma relação amorosa autêntica é portanto aquela onde a busca de uma sintonia física, mental e espiritual é uma realidade. Nesta, são respeitados os Sonhos individuais (pois ninguém é pertença de ninguém) e potenciados os Sonhos conjuntos.

Através da Prática do Coaching , faça uma adequada gestão de conflitos e aprofunde o nível de sintonias. Torne-se agente de evolução do seu par e vice-versa.

Não perca o próximo artigo de “Coaching…para quê?”. Leia mais artigos na página de opinião do IMEDIATO.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.