A tradição mantém-se em Penafiel e nem a chuva afastou os milhares de pessoas que se deslocaram à cidade para participar na Feira de São Martinho, uma festa que começou no passado sábado, dia 10 de novembro e que se prolonga até ao dia 20, em Penafiel.
As castanhas assadas e o vinho novo são as atrações desta festa em honra do padroeiro da cidade. Os visitantes vêm de todo o lado, alguns deles há vários anos consecutivos. Outros revivem, ano após ano, os tempos de antigamente, em que se deslocavam aquela que é considerada a maior feira comercial do distrito do Porto, para se abastecer de roupa quente para o inverno.
Pelas ruas da cidade, dezenas de comerciantes apregoam os seus artigos. No Largo de Puços, a tenda montada para o efeito, alberga a prova do vinho novo. São 80 pipas das adegas cooperativas de Penafiel, Amarante, Lousada e Felgueiras, que serão servidas nas 30 mil canecas e cinco mil malgas alusivas à edição deste ano do São Martinho.
“Eu venho ao São Martinho desde pequena. Lembro-me de vir às cavalitas do meu pai”, afirmou Carolina Martins, da freguesia penafidelense de Capela.“Amanhã venho com os meus filhos. Gosto muito desta festa, do convívio que proporciona”.
“Gostamos de manter as tradições”, afirmou o marido Joaquim Pereira, satisfeito por ter na sua terra uma das maiores festas da região.
Ricardo Costa é da freguesia de Recarei, em Paredes e foi ao São Martinho pelo segundo ano. “Ouvia falar da festa mas nunca tinha vindo. Vim a primeira vez o ano passado e voltei”, afirmou, destacando o convívio que proporciona aos visitantes. “É uma festa tradicional com tudo o que a terra nos dá, com o que há de melhor em termos de desenvolvimento regional”. “E a essencial das pessoas, da tradição, cativaram-me completamente”. “É uma das festas do ano”, rematou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *