O Executivo Municipal de Paços de Ferreira aprovou, esta segunda-feira, o Relatório e Contas referente ao ano de 2019. Pelo quarto ano consecutivo, a autarquia registou resultados positivos, sendo que no ano passado este foi de 1.910.371€.

“A entrada em funções no final de 2013 de um novo Executivo Municipal veio permitir a inversão de uma tendência de sucessiva acumulação de resultados negativos que chegaram a ultrapassar os 10 milhões de euros”, lê-se na nota enviada pela autarquia.

Segundo a Câmara Municipal de Paços de Ferreira, a dívida a terceiros passou, no período de um ano, de mais de 47,8 milhões de euros em 2018 a 43,6 milhões de euros em 2019, uma redução de 8,48%.

Também a dívida total do município tem vindo a diminuir “de forma sustentada” desde 2013, ano em que rondava os 67,5 milhões de euros, até chegar aos 43,6 milhões em 2019. Contas feitas, ao longo dos seis anos referidos, a dívida total da autarquia desceu em quase 24 milhões de euros, uma redução de 35,48%.

Evolução da Dívida Total da CMPF, entre 2013 e 2019

Entre 2018 e 2019, o investimento municipal aumentou 235%

Segundo o comunicado da autarquia, entre 2014 e 2019, foram investidos cerca de 19 milhões de euros, sendo que nos últimos 12 meses analisados (2018-2019), o crescimento do investimento municipal foi de 235%.

“Entre 2018 e 2019 verifica-se um aumento de 235%, com enfoque especial no investimento dado à regeneração urbana e na reabilitação da ETAR de Arreigada”, afirmam.

Taxas de Execução de Receita e Despesa mais “elevadas de sempre”

No final do exercício orçamental de 2019, as taxas de execução orçamental do município, que indicam o cumprimento das fontes de receita e as despesas estipuladas no orçamento, foram “as mais elevadas de sempre”.

Assim, no final do ano passado, a Taxa de Execução da Receita rondou os 94,7% e a Taxa de Execução da Despesa os 93,6%.

“As Taxas de Execução da Receita e da Despesa são as mais elevadas de sempre, isto é, traduzem o melhor desempenho alguma vez alcançado pelos Executivos Municipais”, adiantou a Câmara Municipal no comunicado.

Taxas de execução orçamental de 2019

A autarquia adiantou ainda que, no final de 2019, o prazo médio de pagamento a fornecedores era de 34 dias. Contudo, a partir de meados de março de 2020, todas as despesas registadas passaram a ser pagas a pronto.

“Este é mais um indicador da confiança que os nossos fornecedores depositam no Município de Paços de Ferreira (…). Recorde-se que em 2013, o prazo médio de pagamento atingiu os 1.200 dias”, sublinhou a autarquia.

AEPF Formação Modular