natal
Começou por ser um pequeno presépio construído dentro do Café Central em Modelos, Paços de Ferreira, mas com o tempo foi crescendo e o local tornou-se pequeno. Justino Lopes, proprietário do Café Central e responsável pelo projeto levando-o para a parte exterior do estabelecimento.

Ao Jornal IMEDIATO o proprietário afirma que o presépio serve para “recordar algumas pessoas que tinham muito gosto nestas coisas”.

Este ano com o clima invernoso, a construção demorou mais tempo e o responsável do projeto esteve mesmo para desistir. Mas, com a ajuda do irmão, da cunhada e da sobrinha a tradição com mais de 25 anos continuou.

Com mais de cem peças, o presépio é atravessado por um pequeno rio, com cerca de 100 litros de água, e contém ao seu redor plantas e musgo naturais.

À exceção das figuras, todos os elementos que constituem a pequena vila são obra do modelense, que todos os anos dedica várias horas para preparar e melhorar o presépio natalício. Por exemplo, uma casa demora cerca de três a quatro horas a ser construída.

O proprietário do Café Central explicou ao IMEDIATO que muitas peças ainda não chegaram ao seu presépio, como o caso do menino Jesus, que é colocado no dia 25 à meia noite, por Justino Lopes. Os Reis Magos são os últimos a chegar, no dia 8 de janeiro. No caminho para a cabana, estão já José, Maria e o burro.

Todos os anos o presépio tem figuras novas ou reconstruídas, este ano tem uma cabana renovada. Justino Lopes diz ao Jornal IMEDIATO “a cabana coloquei-a com uma dimensão maior, com mais espaço para as peças”.

Com o fim da época natalício, o presépio é desmontado e guardado todas os elementos que o compõem, cada pedra e cada pedaço de terra ficam a espera para regressarem no próximo Natal.

 

 

 

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.