Bacalhau e bolo rei

O Partido Social Democrata de Paços de Ferreira (PSD) enviou uma nota de imprensa “repudiando a atitude da Câmara Municipal de Paços de Ferreira”, por contratualizar, através de ajuste direto, a compra de bacalhau e bolos rei, no valor de 18.867,24€, a empresas sediadas fora do concelho de Paços de Ferreira.

“Temos pastelarias a produzir dos melhores bolo-rei da região e inúmeras empresas a comercializar bacalhau. Com esta atitude, mais uma vez se confirma que este executivo municipal diz uma coisa agora, mas faz o seu contrário no momento seguinte. Agora que poderiam efetivamente apoiar os nossos comerciantes, não o quiseram fazer”, critica o PSD concelhio.

Recordando uma entrevista do presidente da Câmara Municipal, Humberto Brito, datada de 2012, em que é referido que “os centros escolares deveriam ser construídos por empresas com sede no nosso concelho”,  os sociais-democratas acusam que, agora “que a ‘empreitada’ é muito menor e o momento é particularmente difícil para os comerciantes, o presidente de Câmara esquece-se das suas palavras”.

Segundo uma base de dados de contratos públicos, a autarquia adquiriu 12.928,50 € em bacalhau e 5.983,74 € em bolo-rei a duas empresas do concelho de Penafiel, tendo sido ambos os contratos realizados por ajuste direto.

Compra de bacalhau e bolo-rei foi transparente, diz autarquia

Ao IMEDIATO, fonte da Câmara Municipal e Paços de Ferreira afirmou que a aquisição de bens e serviços da Câmara Municipal é gerida pelo seu gabinete de compras que, “mesmo por ajuste direto e não sendo obrigatoriedade legal, consulta no mínimo três empresas, sendo que é adjudicado o fornecimento à empresa que apresentar melhor preço”.

A mesma fonte adiantou que “no caso em apreço, muitos dos bens adquiridos nesta quadra natalícia foram de comerciantes e empresas de Paços de Ferreira” e que “qualquer entidade ou empresa que deseje prestar serviços ou fornecer bens ao Município pode inscrever-se junto do Gabinete de Compras”.

Segundo um comunicado enviado na segunda-feira pela autarquia, vão ser distribuídos cabazes por 1.300 famílias carenciadas do concelho, compostos por produtos alimentares, designadamente, como massa, arroz, leite e bacalhau.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *