nuno araujo

 

Numa época que tem sido em crescendo, mas marcada por alguns percalços, o piloto da ENI/EQS Racing Team quer conseguir na quinta prova do Campeonato de Portugal de Rallycross by Diatosta aquilo que em virtude de várias vicissitudes não conseguiu materializar na segunda visita da competição a Montalegre: chegar á final e estar na discussão do pódio.

É com renovada expetativa que Nuno Araújo aborda a prova deste fim-de-semana no Ribatejo, depois de em Trás-os-Montes o mau tempo e alguns toques o terem impedido de levar o Audi A1 S1600 às posições que merece na mais competitiva das divisões do rallycross nacional.

Desde que tomou o comando da “bomba” germânica que o penafidelense tem demonstrado talento e capacidade para ser competitivo, mesmo assumindo logicamente que “esta é uma época de transição, onde me estou a adaptar a um carro novo, exigente e que me está a fazer evoluir muito como piloto”, lembra Nuno Araújo, que aos comandos do Audi tem mostrado uma rápida adaptação e já vence mangas e corridas, para além de voltas mais rápidas. “Isso mostra que estamos no bom caminho e que é possível lutar pelos primeiros lugares na S1600 e, paulatinamente, nos aproximarmos da discussão dos triunfos e dos campeonatos”, projetando que “se utilizarmos bem esta época de 2021, poderemos estar muito fortes em 2022 e aí, sem qualquer dúvida, assumir que estaremos sempre na luta pelas vitórias.

Nuno Araújo tem a noção de que Mação é uma pista muito diferente da anterior: “É estreita e sinuosa. Um traçado muito técnico onde é extremamente difícil de ultrapassar. Por isso será essencial fazer boas partidas, para dessa forma ganhar vantagem sobre uma concorrência, que, como se sabe, está cada vez mais forte, com bons carros e bons pilotos”.

Como tal, a estratégia para o fim-de-semana passará por “começar nos treinos a trabalhar para conseguir o melhor ‘set-up’, e depois fazer tudo para chegar à final, e aí sim, dar tudo para terminar nas posições do pódio e talvez lutar pela vitória”, diz o piloto penafidelense.

Nuno Araújo também não deixa de destacar o facto da sua evolução com o Audi A1 S1600 da ENI/EQS Racing Team também se dever ao «staff» que o apoia: “Agradeço ao trabalho que a minha equipa técnica tem feito, pois tem sido essencial para tornar o carro cada vez mais competitivo. A pausa de verão foi aproveitada para melhorá-lo. E espero ver os reflexos disso já este fim-de-semana”.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.