Julio Resende

O Museu Municipal de Penafiel vai receber exposição “única” do Mestre da arte contemporânea portuguesa, Júlio Resende. A mostra, composta por 33 obras originais, vai ser inaugurada este sábado, dia 26 de março, pelas 18 horas e estará patente ao público até ao dia 9 de outubro.

As 33 obras originais de Júlio Resende vão ser apresentadas no Museu Municipal de Penafiel, numa exposição denominada “JÚLIO RESENDE: Portas da Percepção”, que retrata a multiplicidade e pluralidade de técnicas utilizadas pelo Mestre ao longo do seu vasto percurso artístico, tão diversas como aguarela, pastel, óleo, cerâmica, escultura e fresco.

Segundo a autarquia penafidelense, “destaca-se deste conjunto singular, e apenas pela segunda vez fora das instalações do Lugar do Desenho, a exposição do estudo original preparatório do fresco, que se encontra na Sala de Audiências n.º 1 do Palácio da Justiça do Tribunal Judicial de Penafiel, sede da Comarca Porto Este, e que constitui a única obra de arte pública de Júlio Resende no concelho. Um mural que foi realizado em 1986, no âmbito de um conjunto de cinco obras encomendadas para os Tribunais do Porto, Anadia, Lisboa, Vagos e Penafiel, tendo-se então produzido um documentário em vídeo da execução da obra, que também vai poder ser visto nesta exposição, que conta com a curadoria do arquiteto penafidelense Joaquim Vieira de Magalhães”.

Júlio Resende nasceu no Porto, em 1917. É autor de uma obra de pintura vastíssima, desenvolvida entre os anos 30 do século XX e a primeira década do século XXI. Concluiu a sua formação em Pintura em 1945, na Escola de Belas Artes do Porto, onde seria docente entre 1958 e 1987. Realizou inúmeras exposições no país e no estrangeiro, tendo iniciado, em 1934, a participação em exposições coletivas, e um trajeto individual em 1943.

Nome maior da arte contemporânea portuguesa, foi distinguido com relevantes prémios e várias condecorações ao longo da sua carreira. Realizou uma vasta obra pública com trabalhos em técnicas muito diversas, que vão da cerâmica ao fresco, do vitral à tapeçaria, instalados em espaços de norte a sul de Portugal. Para além disso, ilustrou obras literárias e executou cenários e figurinos para teatro, bailado e espetáculos de grande impacto.

Sobre a sua rica e diversificada produção debruçaram-se os principais críticos e historiadores de arte portugueses, mas também importantes escritores e poetas. A criação do Lugar do Desenho – Fundação Júlio Resende foi um dos principais projetos a que se dedicou a partir do final do século XX, inaugurado em 1997 na margem do Douro, em Gondomar, junto à casa-atelier do artista.

Júlio Resende faleceu aos 93 anos de idade, a 21 de setembro de 2011, na sua casa em Valbom, Gondomar.

 

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.