Um incêndio de grandes dimensões consumiu, na madrugada deste sábado, uma fábrica de calçado, no número 333 da Rua da Indústria do Calçado, em Margaride, no concelho de Felgueiras, provocando prejuízos de mais de 4 milhões de euros e deixando 40 funcionários ficaram sem trabalho.

“Foi uma vida de trabalho que foi destruída”, lamentou ao Jornal IMEDIATO Silvério Silva, proprietário da S.K.S. Calçados – Unipessoal, Lda, a indústria de produção de calçado, que foi totalmente consumida pelas chamas na madrugada deste sábado, em Felgueiras. “Ainda não temos calculados todos os prejuízos, mas podem rondar os quatro milhões de euros. Só em matéria prima, calçado produzido e material, o prejuízo foi de mais de dois milhões de euros”, afirmou o empresário.

Quando os bombeiros chegaram ao local, a empresa – que trabalha para o mercado interno e para exportação, para marcas como CR7 e Hush Puppies – estava tomada pelas chamas. “À nossa chegada a fábrica estava totalmente consumida pelas chamas”, afirmou Júlio Pereira, comandante dos Bombeiros Voluntários de Felgueiras. “A principal preocupação foi confinar o incêndio ao local onde deflagrava e evitar que se alastrasse às habitações que se situam próximo do local”, acrescentou.

A funcionar há cerca de 15 anos em Felgueiras, a empresa familiar, deslocou-se para este espaço que agora foi destruído pelas chamas, em Margaride, há cerca de um ano. Tem 40 funcionários diretos e 40 indiretos, que ficam agora em risco. “Era uma unidade nova, moderna, onde investimos muito dinheiro. Somos uma empresa de família, que investe os lucros e agora perdemos tudo”, explicou Silvério Silva, preocupado com a continuidade da empresa, após o incêndio. “Não sei se terei condições para reerguer a empresa. Para a semana vou reunir com o contabilista, com a seguradora, com os fornecedores, analisar legalmente a situação dos funcionários e ver o que podemos fazer”, explicou. “Tenho seguro, mas este não chegará para cobrir todos os prejuízos”, lamentou.

As causas do incêndio são desconhecidas e estão a ser agora investigadas pela Polícia Judiciária. A GNR de Felgueiras também esteve no local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *