Humberto Brito, presidente da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, PS

 

Humberto Brito, presidente da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, anunciou que “com este PS em Paços de Ferreira não voltarei a ser candidato à Câmara Municipal”. Este anúncio surge depois de Armanda Fernandez, presidente da Comissão Política concelhia, ter vindo a público dar conta de que ratificou o nome do atual autarca para se recandidatar à Câmara Municipal, mas com algumas condições. Contudo, para a Federação Distrital do Partido Socialista o candidato está escolhido e esta posição da presidente da Comissão Política de Paços de Ferreira do PS “não faz sentido”, na medida em que a distrital apenas ratificou uma proposta apresentada pela estrutura concelhia.

Depois de ter sido anunciada a ratificação de 15 nomes de candidatos às autarquias do distrito do Porto, realizada em reunião da Comissão Política Distrital, Armanda Fernandez, presidente da Comissão Política concelhia, disse a um outro órgão de comunicação social local que tinham aceitado a candidatura de Humberto Brito à Câmara Municipal de Paços de Ferreira, “com algumas condições”.

Estas declarações levaram o candidato Humberto Brito a vir a público anunciar “que com este PS em Paços de Ferreira não voltarei a ser candidato à Câmara Municipal”.

“O que me fez entrar na política foi combater os interesses instalados, as negociatas, os favores, os esquemas, os lugares, os tachos!
Assim, continuarei a combater todos aqueles que querem servir-se do PS para voltar a um passado que combati! Defendo valores e princípios e não cedo à chantagem dos lugares/tachos! A reposta é não! Não aos interesses, às negociatas! Jamais! E sei que o povo está e estará sempre comigo! E podem tentar denegrir-me por todos os meios! Com as calúnias e os boatos de sempre! Recorrendo ao mais vil e abjecto! Mas nunca nunca nunca cederei! NUNCA PERDEREI A HONRA DE TUDO O QUANTO O MEU PAI ME ENSINOU APENAS PARA ME MANTER NO LUGAR!
Respeitarem sempre as mais de 21 mil pessoas que confiaram em mim! Assim, com este PS em Paços de Ferreira anúncio publicamente que não voltarei a ser candidato a câmara municipal! Na política como na vida, não vale tudo! E para mim há valores maiores!”, escreveu na sua página pessoal do Facebook.

Federação diz que o candidato está escolhido e que posição da líder concelhia “não faz nenhum sentido”

Contactado pelo IMEDIATO, Manuel Pizarro, o presidente da Federação Distrital do Porto do Partido Socialista, afirmou que esta posição de Armanda Fernandez “não faz nenhum sentido”, na medida em que “o que a Comissão Política distrital fez foi ratificar a decisão de um órgão”. “Humberto Brito foi ratificado pela Comissão Política distrital, por proposta da Comissão Política concelhia”, numa votação que aconteceu em bloco, pois “ninguém requereu a votação em separado”, explica.

Durante esta reunião, e após a ratificação por unanimidade dos 15 nomes apresentados como candidatos para o distrito do Porto, entre os quais o de Humberto Brito, Armanda Fernandez e um eleito socialista na estrutura, fizeram uma declaração que não indiciou ao líder o episódio que agora se dá. “Fizeram declarações dizendo que o voto favorável deles tinha como condição o diálogo entre a concelhia e o candidato; fizeram uma declaração política normal”, referiu Manuel Pizarro.

Para o líder da Federação, “Humberto Brito é o candidato e é claro que, enquanto candidato, tem especiais responsabilidades na liderança do processo autárquico em Paços de Ferreira”. “Não passa pela minha ideia que o candidato não seja o líder do processo autárquico, dialogando com as pessoas e os órgãos”, referiu, dando conta de que à Federação resta “o árduo de encontrar os pontos de entendimento. E acho que vamos ser bem sucedidos”, rematou.

Ao Jornal IMEDIATO, Armanda Fernandez, presidente da concelhia, diz que o processo está na distrital e que não se quer pronunciar sobre o mesmo. Contudo, afirma que o candidato que foi agora ratificado pela distrital, Humberto Brito, já o tinha sido pela concelhia e que as condições impostas na reunião da distrital já eram do conhecimento da Federação.
A líder concelhia garante ainda que existe falta de diálogo entre o autarca de Paços de Ferreira e reafirma a necessidade de diálogo entre as partes para um entendimento.

O Jornal IMEDIATO tentou obter uma reação do edil municipal, mas tal ainda não foi possível.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *