Um homem, de nacionalidade ucraniana, subiu ao telhado de um bloco de apartamentos ao início da manhã desta quarta-feira, onde esteve durante cerca de cinco horas. Em Portugal há dois meses, exigia falar com alguém do consulado da Ucrânia, em Portugal, a quem queria pedir ajuda para conseguir ser repatriado.

O homem subiu ao telhado do bloco de apartamentos, através de uma escada situada nas traseiras de um deles. Antes, ainda bateu com uma pá que tinha consigo, na porta de uma das habitações, alertando os moradores.

Já no telhado, o homem, que está em Portugal há cerca de dois meses, disse às autoridades que quer regressar ao seu país de origem, mas que não tem dinheiro. Por isso, exigia falar com alguém do consulado da Ucrânia, que o ajudasse a ser repatriado.

Durante quase cinco horas, GNR, Bombeiros e um elemento da equipa de psicólogos do INEM, subiram até à altura do telhado, numa plataforma elevatória e tentaram convencer o homem a render-se. As autoridades foram ainda buscar uma amiga do ucraniano, que ajudou nas negociações.

Ao fim desse tempo, sem o conseguirem convencer a descer, três elementos da GNR conseguiram aproximar-se e, já no telhado, imobilizar o indivíduo.

O homem, que tinha os pés feridos devido ao piso e à existência de pregos no telhado, foi assistido no local pelos Bombeiros Voluntários de Paredes. Foi depois transportado, acompanhado da GNR, para o serviço de Psiquiatria do Hospital de São João, no Porto, para internamento.

No local da ocorrência estiveram os Bombeiros Voluntários de Paredes, com quatro veículos seis elementos, a GNR de Paredes e Penafiel e uma equipa de psicólogos do INEM.