A GNR anunciou a detenção de oito pessoas em cinco distritos pelo crime de desobediência, entre a meia noite de domingo e as 08:00 desta segunda-feira. A força policial vai controlar o cumprimento das medidas impostas durante o estado de emergência.

No distrito do Porto, os militares da GNR detiveram em flagrante delito uma mulher de 40 anos pelo crime de desobediência ao cumprimento do período de isolamento profilático COVID-19, no concelho de Vila Nova de Gaia. A detida não tinha antecedentes criminais e foi sujeita a termo de identidade e residência, “com obrigação de permanência no domicílio”.

Em Ovar, no distrito de Aveiro, uma mulher de 53 anos foi detida pelo mesmo crime. “Depois de ter sido acompanhada até ao limite da cerca sanitária, foi detida e notificada para ser presente no Tribunal Judicial de Ovar”, informou a GNR.

Já em Cinfães, no distrito de Viseu, um homem de 49 anos foi detido resistência e coação sobre funcionário, encontrando-se em “violação do dever geral de recolhimento imposto pelo Estado de Emergência em curso”.

Também no distrito de Leiria, nomeadamente no concelho de Marinha Grande, um homem de 44 anos foi detido por desobediência e sujeito a termo de identidade e residência.

Em Setúbal, dois homens de 29 e 38 anos foram detidos na freguesia de Fernão Ferro pelos militares da GNR por cometerem os crimes de condução sob a influência do álcool e o outro por posse de arma ilegal. Os homens também violaram o dever geral de recolhimento, ficando sujeitos a termo de identidade e residência.

Já em Faro, mais concretamente na cidade de Lagoa, dois homens de 21 anos foram detidos pelo crime de integridade física qualificada, ficando também sujeitos a termo de identidade e residência.

“A GNR recorda que as medidas de contenção e isolamento podem salvar vidas. Por isso, apela-se à consciência cívica dos cidadãos para permanecer em recolhimento no seu domicílio”, referiu a força policial.

Quem chega do estrangeiro ao Norte devem fazer isolamento por 14 dias

A Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte ordenou na quinta-feira passada que “todos os cidadãos chegados à reunião de saúde do Norte por fronteira terrestre, aérea ou marítima, provenientes do estrangeiro, independentemente da nacionalidade e país de origem, permaneçam em isolamento profilático pelo período de 14 dias”.

Na região, as autoridades estão a fiscalizar o cumprimento do isolamento social e a pedir que seja comunicada a sua violação, principalmente por quem tenha regressado do estrangeiro.