teatro 01 1

O IMEDIATO esteve à conversa com Francisco Graça, presidente do Grupo Teatral Freamudense (GTF), que tem vindo a disponibilizar online peças de teatro. Segundo o representante, a iniciativa tem tido “um feedback impressionante” e até emigrantes saudosos têm visualizado as atuações.

“Este confinamento obriga-nos a parar, não podemos ensaiar nem exercer atividade. Mas também nos obrigou a fazer algo diferente e então lembrámo-nos de publicar peças que já tínhamos feito”, contou ao IMEDIATO Francisco Graça.

Assim, como o IMEDIATO tinha noticiado, GTF procurou bem fundo no baú e decidiu disponibilizar na internet as suas atuações de forma gratuita – algumas com décadas e ainda em VHS – e até agora o resultado tem sido “impressionante”, com quase 2.500 visualizações alcançadas.

“Muitas pessoas estão a rever-nos, acompanhavam os nossos espetáculos e agora conseguem voltar a vivê-los a partir de casa. Muita gente viu, partilhou e agradeceu e com todo este feedback vamos definitivamente publicar mais”, adiantou o representante do grupo.

Segundo Francisco Graça, as visualizações ultrapassaram as fronteiras portuguesas, pois vários emigrantes saudosos deixaram ao grupo “mensagens maravilhosas” nas redes sociais.

De acordo com o representante, emigrantes querem assistir a peças de teatro do GTF quando visitam o país nas férias de verão, mas não o conseguem fazer, porque nessa altura o grupo não está em funcionamento.

Assim, com esta nova ferramenta à disposição e o sucesso que esta está a ter, o grupo de teatro já olha para a frente e admite que vai fazer mais uso das suas potencialidades no futuro para chegar “rapidamente a toda a gente”.

“Nós somos amadores, o que significa que fazemos teatro porque amamos. Queremos captar consumidores regulares e quem sabe ganhamos atores e meter-lhes este bichinho”, afirmou.

Até ao momento, o GTF partilhou na sua página três das suas peças: “Gandarela” e “O Gato”, distribuídas por quatro partes cada, bem como “A Senhora das Brancas Mãos”, repartida em cinco partes.

Segundo o presidente do grupo, ainda que todas as publicações tenham tido “uma reação muito positiva”, “Gandarela” foi a peça que mais surpreendeu, com “números impressionantes” que deixaram o grupo “perplexo”.

“Daqui a cem anos, o teatro vai continuar a ter o seu espaço”

Com a pandemia a parar o mundo, também o GTF teve de suspender a sua atividade. “Estávamos a iniciar um novo projeto, por isso não tivemos atuações canceladas, mas vamos sofrer um grande atraso, com isto tudo ficamos impedidos de trabalhar”, contou ao IMEDIATO Francisco Graça.

Contudo, numa altura em que a maioria da população está em casa, não é novidade que as audiências televisivas e a utilização de serviços de streaming estão mais altas que nunca, mas para o presidente do GTF “o teatro vai ter sempre o seu espaço”.

“Várias entidades como o Teatro Nacional de São João, companhias independentes e até mesmo a RTP têm vindo a emitir peças de teatro e a ter audiência. Acredito que daqui a cem anos o teatro vai continuar a ter o seu espaço”, afirmou.

Ainda assim, o representante do grupo freamundense não nega que é preciso “o teatro tem de ser renovado e as pessoas têm de ser renovadas também”, de maneira que, com a publicação de atuações online o GTF também tem “a esperança” de atrair mais pessoas.

Atualmente com 40 membros, entre atores, técnicos e colaboradores, o grupo fundado em 1963 está ansioso para voltar ao trabalho.

“Estamos cá e à espera de que isto passe para voltarmos à ação”, confessou Francisco Graça.

Veja aqui as peças disponibilizadas pelo GTF: https://www.imediato.pt/grupo-teatral-freamundense-disponibiliza-pecas-de-teatro-online/

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.