SCF apresentacao2015 16b
Polémica arbitragem de Bruno Paixão com o Benfica «B», em 2016, arredou o SC Freamunde da disputa pela subida à I Liga.

Estávamos na última jornada da II Liga 2015/16 e havia muito em jogo na partida entre o SL Benfica «B» e o SC Freamunde, marcada para o Centro de Estágio dos encarnados, no Seixal. Nessa partida, a equipa «B» do Benfica precisava obrigatoriamente de vencer para escapar à descida de divisão, enquanto a equipa freamundense necessitava de vencer o jogo da derradeira jornada da prova para alimentar o sonho de subida à I Liga.
O árbitro escolhido para dirigir o encontro foi o setubalense Bruno Paixão, antigo árbitro de futebol agora investigado por ser suspeito de receber dinheiro por serviços prestados ao Benfica através de uma empresa de consultadoria.
O SL Benfica acabou por vencer o encontro por 5-0, mas com muita polémica de arbitragem na primeira parte devido a lances decisivos a favor dos encarnados. Noticiou o Jornal «Record» do dia da partida (14 de maio 2016). “A equipa da casa, que ao intervalo já vencia por 2-0, adiantou-se no marcador aos 23 minutos, na transformação de uma grande penalidade, a castigar uma falta de Ivan Perez, junto à quina da área do Freamunde. O árbitro Bruno Paixão parecia ter assinalado apenas falta fora da área, mas, depois de alguma hesitação e de conferenciar com os árbitros auxiliares, acabou por marcar a grande penalidade, que Gonçalo Guedes converteu.
O Benfica B, que até então tentava apenas contrariar a supremacia do adversário nos primeiros minutos da partida, chegava à vantagem no marcador num lance discutível que surpreendeu toda a equipa do Freamunde”.
A equipa freamundense ainda tentou reagir e “Robson atirou à barra da baliza de Miguel Santos, aos 31 minutos e, logo a seguir, Ivan Perez apareceu estatelado na grande área do Benfica B. Bruno Paixão nada assinalou e o jogador do Freamunde, já com um cartão amarelo, não protestou”. Após estes lances importantes na partida, seguiu-se outro que teria impacto no resultado final. “O jogo ficou praticamente decidido aos 40 minutos, com a segunda grande penalidade assinalada a favor do Benfica B, a castigar nova falta clara de Ivan Perez, agora sobre Dálcio Gomes, dentro da grande área do Freamunde. Ivan Perez viu o segundo cartão amarelo e respetivo vermelho.
A perder por 2-0, fruto de duas grandes penalidades contra, uma não assinalada a seu favor de permeio e um jogador a menos em campo, o jogo ficou decidido no primeiro tempo. Na segunda parte o Benfica «B» chegou com facilidade aos 5-0 finais.
A jovem equipa encarnada atingiu o seu objetivo de permanência e o SC Freamunde ficou arredado da subida de divisão, embora a vitória também não tivesse sido suficiente pois Feirense e Portimonense empataram os seus jogos. Nessa temporada de 2015/16, subiram à I Liga o GD Chaves (2º) e o CD Feirense (3º), pois o primeiro classificado foi o FC Porto «B».
As incidências do encontro do Seixal foram, na altura, alvo de muitas críticas por parte dos responsáveis freamundenses, queixando-se fortemente das decisões de Bruno Paixão que tiveram um impacto direto no resultado final.
No caso de justiça sobre Bruno Paixão ontem tornado público, a imprensa revela que saíram 1,9 milhões de euros das contas do Benfica para uma pequena empresa de consultadoria informática, valor que suscitou alerta por parte do sistema bancário por suspeita de branqueamento de capitais, acabando por dar origem ao chamado processo ‘Saco Azul’, desencadeado em setembro de 2018.
Feita uma perícia financeira às contas da empresa surgiu também o nome de Bruno Paixão, ficando a suspeita que a empresa terá sido o veículo para o Benfica efetuar pagamentos ao antigo árbitro. Bruno Paixão desmentiu à CNN Portugal qualquer ligação ao Benfica, garantindo que todo o caso não passa de mera coincidência, pois prestou efetivamente serviços à empresa em causa, a Best for Business.
A Polícia Judiciária e o Ministério Público, contudo, suspeitam que há indícios de prática de corrupção desportiva, que poderá ter sérias consequências para o Benfica, servindo o dinheiro para adulterar a verdade desportiva através de subornos a árbitros. Ainda sem qualquer acusação deduzida, se tal ficar provado o Benfica pode mesmo descer de divisão.
Bruno Paixão terminou a carreira no final da época passada, em maio de 2021.

Subscreva a newsletter do Imediato

Assine nossa newsletter por e-mail e obtenha de forma regular a informação atualizada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.