E já passaram 25 anos. Num abrir e fechar de olhos está percorrido um quarto de século, gravado em barra cronológica que revive a história recente de uma região. Desde que, no início de 1994, três jovens espevitados pela época áurea da comunicação social saída da verdadeira escola de jornalismo que foram as rádios pirata idealizaram a criação de um jornal regional, que o rumo estava traçado. Um rumo bem definido e do qual não nos desviamos, ao longo de um percurso nem sempre fácil de trilhar. O ideal de um jornalismo equidistante de poderes instituídos, que seguisse as suas convicções, do qual os assinantes e leitores sentissem falta, que tivesse espaço para todos os quadrantes; políticos, sociais, económicos e desportivos. Nem sempre o temos conseguido, a imperfeição faz parte da natureza humana, mas em todas a edições tentamos estar o mais próximo possível desse fio condutor original.
Ao longo de 25 anos o mundo mudou bastante e a comunicação social ainda mais, exigindo uma atenção diária às novas tecnologias, a um novo processo de escrita, ao escrutínio da falsa notícia, à notícia “caça likes”, a um diferente tipo de leitores. O grande desafio tem sido conviver com tudo isto e mantermo-nos acima da fatídica linha que muitos órgãos de comunicação ultrapassaram, sem regressar. Felizmente ainda por cá andamos, graças ao empenho de muitos que, de forma desinteressada, ajudaram o IMEDIATO a chegar ao quarto de século.
O nosso muito obrigado aos funcionários, às dezenas de colaboradores, aos inúmeros patrocinadores e à resiliência que nos ajudou a atingir uma data marcante.
O próximo desafio é o amanhã. Novas lutas, novos objetivos, que nos levarão a uma nova meta; essa está nas vossas mãos definir, a cada quinze dias.