O Centro de Interpretação da Escultura Românica (CIER), em Abragão, Penafiel, vai abrir portas no sábado. Em comunicado, a Rota do Românico adiantou que o investimento total (com estudos, projetos, empreitadas…) ronda 1,1 milhões de euros.

“A inesperada descoberta arqueológica, em 2006, aquando dos trabalhos do arranjo urbanístico do Centro Cívico de Abragão, de cerca de 70 elementos pétreos com decoração românica, esteve na génese do desenvolvimento do CIER”, explica a nota enviada às redações.

Assim, foram encontrados capitéis, bases, aduelas e fustes pertencentes a um portal que, “pela dimensão e quantidade”, permitem aos especialistas considerar tratar-se do antigo portal principal da Igreja de Abragão.

A reconstituição parcial e hipotética do portal e da rosácea da fachada principal da igreja foi o “motivo impulsionador” do projeto do CIER, que vai oferecer ao visitante a possibilidade de conhecer o contexto temporal, social e cultural da arte românica, destacando a importância dos pedreiros e escultores na sua materialização.

O novo pólo da Rota do Românico vai agora abrir portas, contando com uma superfície de exposição com cerca de 300 metros quadrados, distribuídos por seis espaços temáticos: A Escultura Românica; Símbolos e Significados; Pedreiros e Escultores; Igreja de Abragão; Portal de Abragão; Nave/Projeção.

O percurso vai conciliar “as novas tecnologias com objetos e conhecimentos únicos”, sendo que o edifício onde o CIER se instalou serviu, durante vários anos, de oficina de ferreiro, e as suas paredes receberam peças aparelhadas que pertenciam à antiga nave da Igreja de São Pedro de Abragão, reedificada na segunda metade do século XVII.

A inauguração vai acontecer no sábado, sendo que o momento vai ser partilhado em direto nas redes sociais da Rota do Românico. Até ao final do mês de setembro, a entrada é livre.

O CIER está aberto de quinta-feira a domingo, nos períodos 10-13 e 14-18 horas. Às terças e quartas-feiras funciona mediante marcação prévia.

Depois da abertura, em 27 de setembro de 2018, do Centro de Interpretação do Românico, em Lousada, este é o segundo grande equipamento de divulgação do património histórico-cultural promovido pela Rota do Românico.

O CIER representa um investimento total (estudos, projetos, empreitadas, museografia…) de cerca de 1,1 milhões de euros, cofinanciado em 85% por fundos europeus.